Publicidade
Manaus
Da rede municipal

Professores devem se vacinar contra a gripe H1N1 até sexta-feira

A ação é voltada para os docentes que atuam nas salas de aula das 492 unidades escolares do município 18/07/2016 às 12:20
Show  ndice
Mais de sete mil professores da rede pública municipal de ensino de Manaus devem ser vacinados contra a gripe H1N1
acritica.com

Mais de sete mil professores da rede pública municipal de ensino de Manaus devem ser vacinados contra a gripe H1N1, desta segunda, 18, até a próxima sexta-feira, 22, das 9h às 16h. A Ação da Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Educação (Semed) e Saúde (Semsa), é voltada para os docentes que atuam nas salas de aula das 492 unidades escolares do município, devido à exposição que estão sujeitos, diariamente, durante o trabalho.

De acordo com a chefe da Gerência de Ações Complementares e Programas Especiais (Gacpe) da Semed, Dircélia Ortiz, o intuito da campanha é cuidar da saúde tanto dos docentes quanto dos alunos, eliminando os riscos de contágio entre ambos, evitando assim o afastamento do ambiente escolar por conta da doença.

“A Semsa propôs a vacinação dos professores, exclusivamente, de sala de aula justamente porque são eles que têm mais contato com os alunos, sendo vulneráveis a essa doença que tem acometido a população. É a saúde do professor que está sendo vista como prioridade neste momento”, disse.

Na sede da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Sul, no bairro Parque 10 de Novembro, funciona um dos 12 postos de vacinação. O professor de Educação Física na Escola Municipal Professora Maria da Luz, Kennedy Campos, foi o primeiro a ser imunizado na manhã desta segunda-feira, 18, e aprovou a iniciativa.

“É muito importante esta ação até porque nós trabalhamos com crianças, que sempre estão nos abraçando, próximas e precisamos cuidar desta parte também. Muitos de nós adoecermos justamente por conta desse contato. Confesso que nunca tive a oportunidade de tomar essa vacina”.

A chefe da DDZ Sul, Jecicleide Nascimento, acompanhou o primeiro dia de vacinação e destacou que a preocupação com a saúde dos professores resultará na diminuição de licenças médicas.

“Com certeza, essa campanha demostra a preocupação com a saúde dos professores, porque realmente o contato deles com as crianças é no dia a dia, é na sala de aula, que é um ambiente fechado. Nós já tivemos vários casos de professores sendo afastados porque estavam gripados, acometidos de alguma doença. Essa campanha de vacinação vem contribuir para a melhoria da saúde dos nossos professores e isso, claro, vai ajudar também os nossos alunos”, observou.

Locais de atendimento

Ao todo, a Semsa disponibilizou 12 postos de vacinação para os professores. Na zona Oeste são quatro locais de atendimento: sede da DDZ Oeste; Escola Municipal Manuel Ferraz (Rua Praia de Copacabana, Tarumã, por trás da Avenida Torquato Tapajós); Escola Estadual Petrônio Portela (Av. Bartolomeu da Silva, Dom Pedro) e Escola Estadual Elda Bitton (Quarentão/Compensa).

Na zona Norte, os postos são: na Escola Municipal Nilton Lins (Rua Grão Pará, conjunto Mundo Novo) e sede da DDZ Centro-Sul (Rua Jambo, Baixada Fluminense, Cidade Nova 1).

Na zona Sul, o local de atendimento é na sede da DDZ Sul, na Rua Manoel Marques, no bairro Parque 10 de Novembro.

Na zona Leste, são três locais de atendimento: Cemeja Prof° Samuel Benchimol (Rua J, São José 2); sede da DDZ Leste 2 (Alameda Cosme e Ferreira, Zumbi); e Escola Estadual Dep. Josué Claudio de Souza (Av. Beira Rio, bairro do Coroado).

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade