Publicidade
Manaus
Manaus

Profissionais do programa ‘Mais Médicos’ começam a trabalhar em Manaus

A UBSF vai funcionar diariamente com o médico, uma dentista e ume enfermeira, além de sete agentes comunitários que farão visitas nas casas 15/10/2013 às 07:16
Show 1
O médico espanhol Abrahan Alba, que começou a atender nesta segunda-feira (14) em uma unidade do bairro Nova Cidade, foi bem recebido por Elias Silva, primeiro paciente dele
Ana Celia Ossame ---

O primeiro dia do médico espanhol Abrahan Alba, 27, do Programa Mais Médicos, do Governo Federal, na Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) do bairro Nova Cidade, Zona Norte, foi celebrado pelo topógrafo Elias Ferreira da Silva, 67, servidor público municipal e primeiro paciente do clínico especialista. “Ter um médico aqui nessa área tão distante do Centro dá um conforto de poder ser atendido na hora que precisar”, argumentou.

Acompanhado pelo diretor de Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), médico Nilson Ando, o espanhol Abrahan Alba disse ter experiência de trabalho em países carentes de profissionais da área como a Bolívia e já conhece um pouco das condições de saúde de áreas como a do bairro Nova Cidade, onde vai trabalhar. Para ele, que consegue se comunicar em português, será uma experiência interessante poder contribuir com o Brasil atuando na prevenção de doenças. “Vim pela proposta do programa e espero fazer um bom trabalho”, afirmou.

ATENDIMENTO

O topógrafo Elias da Silva adoeceu na última sexta-feira (11), tendo um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e na UBSF estava acompanhado de Laurinete Correa, 41, sua companheira, por estar com dificuldades de andar, já que o AVC afeto um lado do corpo dele. Após o atendimento no pronto-socorro, ele foi encaminhado para o acompanhamento numa unidade básica. “Se não tivesse essa aqui, eu teria que me deslocar para outro bairro, seria mais difícil e custoso. Estou contente e quero que o programa cresça”, explicou ele, morador do Conjunto Buritis.

De acordo com o médico da Semsa Nilson Ando, a prefeitura recorreu ao programa Mais Médicos por não encontrar profissionais em Manaus dispostos a trabalhar naquela área da cidade. “Eles acham muito longe”, disse Nilson, explicando que a estratégia do programa é que cada UBSF fique responsável por uma quantidade de no máximo quatro mil pessoas, para que o médico tenha condições de acompanhar e cuidar da prevenção de cada pessoa regularmente.

Esse atendimento, para ter bom resultado deve ser feito em unidades com espaço para oferta de serviços como consulta médica, atendimento odontológico, vacinação e outras ações de vigilância à saúde. Essas uidadades estão sendo projetadas, disse ele, apostando que quando estiverem em pleno funcionamento vão reduzir em muito o atendimento de emergência nos pronto-socorros.

Equipes

A UBSF vai funcionar diariamente com o médico, uma dentista e ume enfermeira, além de sete agentes comunitários que farão visitas nas casas. Nilson Ando falou ainda do projeto para implantação do Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF), outra ação voltada para a prevenção.

Publicidade
Publicidade