Publicidade
Manaus
Manaus

Programa Viva Centro reordenará mais duas avenidas de Manaus

Avenidas Eduardo Ribeiro e Sete de Setembro serão alvo de operação do programa Viva Centro, ação da Prefeitura, no próximo sábado (14) 13/09/2013 às 11:13
Show 1
Ordenamento do Centro começou pela Doutor Moreira, que hoje está livre das bancas de camelôs e com calçadas abertas
FLORÊNCIO MESQUITA Manaus (AM)

Mais duas ruas do Centro receberão a intervenção de reordenamento urbano no próximo sábado (14). Desta vez o alvo da ação realizada pela Secretaria Municipal do Centro (Semc), em parceira com outras secretarias, são as avenidas Sete de Setembro e Eduardo Ribeiro, no trecho entre as ruas Santa Cruz MachadoFloriano e Saldanha Marinho. A ação ocorre a cada 15 dias, de 8h às 14h, nas vias inseridas no quadrilátero das ruas 24 de Maio e Instalação e avenidas Getúlio Vargas e Sete de Setembro.

Segundo a coordenadora do programa Viva Centro, Gabriela Machado, ao todo, serão 16 ruas contempladas até o dia 28 de dezembro. O Viva Centro teve duas edições. A primeira foi realizada nas ruas Doutor Moreira e Marcílio Dias e a segunda as ruas Guilherme Moreira e Marechal Deodoro. No sábado (14), as avenidas Sete de Setembro e Eduardo Ribeiro terão as calçadas recuperadas, receberão limpeza pública e reordenamento de barracas de camelôs, entre outros serviços. A exemplo das primeiras edições, lojas que colocam produtos nas calçadas também serão fiscalizadas e terão que remover equipamentos que atrapalham o deslocamento de pedestres.

A intervenção também prevê a recuperação de meios-fios, iluminação pública, instalação de bancos retirada de placas e fachadas irregulares, além de recapeamento asfáltico.

Conforme a coordenadora, o programa visa reorganizar as principais vias da área comercial do Centro levando orientação a comerciantes que se apropriaram do passeio público, além de serviços de infraestrutura. Ela esclareceu que não se trata de retirada de comelôs, mas uma intervenção para que adaptem as bancas para o padrão original. Ela explicou que a maioria dos camelôs ampliou o tamanho das bancas ao longo dos anos e passou a colocar mercadoria no passeio público dificultando a passagem de pedestres.

Os casos são identificados nas ruas que recebem o Viva Centro e os camelôs são orientados a manter os produtos apenas no interior da bancas. Nos espaços ocupados anteriormente pelas bancas, são instaladas floreiras. Durante o Viva Centro também são distribuídos panfletos com apelo ambiental pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), além de emissão de carteira de trabalho pelo Sine Manaus e serviços do programa Bolsa Família.

A CRÍTICA retornou ontem as primeiras ruas que receberam o programa e constatou que camelôs e lojistas estão cumprindo as recomendações dos órgãos responsáveis.

População aprova programa

A comerciária Leandra Silveira, 28, trabalha na rua Doutor Moreira e disse que a via melhorou depois da intervenção do programa. “Realmente tinha camelô que colocava mercadoria na calçada e até lojista que fazia o mesmo, mas agora a rua está mais livre tem flores em jarros grandes que a prefeitura colocou e todo mundo gostou do resultado”, disse.

A autônoma Maria do Socorro Dantas, 42, vende salgados em um carrinho de compras pelo Centro e também aprova melhoria na via. “A Doutor Moreira melhorou muito. Deviam fazer isso no centro todo”, destacou.

Prefeitura recomeça intervenção em praça

A Prefeitura de Manaus começou uma nova obra na praça Nossa Senhora de Nazaré, em Adrianópolis, Zona Centro-Sul. A exemplo do que aconteceu no lado da praça que fica próxima de grandes prédios residenciais, agora, pelo lado da igreja e da escola estadual Antelo Ramazzotti, serão criadas 20 vagas de estacionamento. De acordo com o prefeito Artur Neto, as intervenções foram solicitadas pelos moradores e o pároco da igreja, que aprovaram as mudanças feitas no lado oposto, onde foi construída uma baia para ônibus e abertas vagas de estacionamentos.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) prevê entregar a obra em dez dias.

O padre José Filândia, da paróquia Nossa Senhora de Nazaré, disse que os transtornos causados no entorno da praça precisavam ser resolvidos. “Estamos há muito tempo buscando uma solução para este problema de estacionamento. Temos que acreditar que a prefeitura está querendo o bem do povo e a ordem da cidade. Não acredito que esta obra esteja atrapalhando a beleza e o espaço da praça, pois as árvores estão intactas e o espaço de dentro permanece como está”, declarou o padre.

No início do mês, o prefeito Arthur Virgílio Neto anunciou a construção de outras 20 baias. Entre as vias que receberão as ações, estão a Alameda Cosme Ferreira, no bairro São José.

Publicidade
Publicidade