Publicidade
Manaus
Manaus

Projeto de Lei prevê meia-entrada para professores em shows e espetáculos em Manaus

O Projeto de Emenda altera o artigo 334 da Loman e institui a meia-entrada para que professores tenham o desconto para apreciar espetáculos musicais, teatrais, circenses, cinematográficos e esportivos 12/03/2013 às 16:03
Show 1
Vereador Wilker Barreto é o autor da proposta
acritica.com Manaus

A meia-entrada em espetáculos e shows para professores do município de Manaus foi discutida durante Sessão Plenária na Câmara Municipal de Manaus (CMM), na manhã desta terça (12), com a apreciação do Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município de Manaus (Loman), do vereador Wilker Barreto.

O Projeto de Emenda altera o artigo 334 da Loman e institui a meia-entrada para que professores tenham o desconto para apreciar espetáculos musicais, teatrais, circenses, cinematográficos e esportivos. A intenção, segundo o autor, é incentivar os professores a participarem de eventos culturais na cidade e, com isso, beneficiar os alunos.

Apesar de elogiar a iniciativa, o vereador Mário Frota (PSDB) levantou sua preocupação com o reflexo que o projeto poderia causar. Segundo ele, os empresários acabariam aumentando o preço do ingresso para compensar o faturamento perdido com a meia-entrada concedida aos professores. “Quando exigimos que mais pessoas paguem a meia-entrada em cinemas ou casas de espetáculos, forçamos o empresário a aumentar a entrada porque ele não vai querer ficar no prejuízo. Por isso me pergunto se o projeto vai mesmo beneficiar ou prejudicar o restante da população que não está contemplada”, explicou Frota. 

O 3° vice-presidente da CMM, vereador Mitoso (PSD), também mostrou sua preocupação em repassar a conta para o cidadão. “A cultura da meia-entrada já está instaurada no Brasil e temos que ter o cuidado de não onerar os empresários ainda mais, porque alguém pagará essa conta no final”, afirmou.

Luiz Alberto Carijó (PDT), Álvaro Campelo (PP) e Marcelo Serafim (PSB) lembraram que hoje os preços dos ingressos já visam compensar o desconto concedido a estudantes, por exemplo. Serafim ressaltou que os empresários já dobraram os valores dos ingressos e que a concessão aos professores não mudaria a realidade que já é praticada. “O preço dos ingressos já é cobrado em dobro, por isso não vejo prejuízo para a população em aprovar um projeto que beneficiaria aos professores”, disse. Carijó citou que os shows encareceram de tal forma que um show internacional em Miami (EUA) chegava a ser mais barato que em Manaus.

Os professores Bibiano (PT), Jacqueline (PPS), Therezinha Ruiz (DEM) e os vereadores Felipe Souza (PTN) e Roberto Sabino (PRTB) ressaltaram que o ideal seria que o profissional fosse bem remunerado para poder pagar e participar de todos os espetáculos e shows de interesse. O autor da propositura, Wilker Barreto, defendeu o projeto alegando que esse ideal ainda estava longe de ser realidade. “Enquanto a questão salarial não é solucionada, vamos dar nossa contribuição para os professores”, ressaltou. 

Uma audiência pública para discutir melhor o assunto foi sugerida pelos vereadores Álvaro Campelo e Marcel Alexandre (PMDB).

Loman

Se o projeto for aprovado, o artigo 334 da Loman passará a contemplar com a meia-entrada, os estudantes, idosos de 60 anos e professores das redes públicas, municipais, estaduais e privadas do Município de Manaus. Essas pessoas, devidamente identificadas e matriculadas em estabelecimentos de ensino, terão preço diferenciado, com redução de 50% do valor, nas exibidoras de espetáculos musicais, teatrais e circenses, cinematográficos e esportivos.  

Com informações da assessoria da CMM.

Publicidade
Publicidade