Publicidade
Manaus
Manaus

Projeto de lei quer mudar o nome da avenida Ephigênio Sales para 'Avenida dos Pássaros'

O projeto de lei, de nº 346/2014 e autoria do vereador Professor Bibiano, já foi deliberado pela CMM e deve começar sua tramitação em breve 07/01/2015 às 15:04
Show 1
A medida surge em resposta ao polêmico caso da morte de mais de 200 periquitos na avenida em novembro do ano passado
Lucas Jardim Manaus (AM)

VOTE NA ENQUETE

Um projeto de lei quer renomear a avenida Ephigênio Sales, uma das mais importantes vias da capital amazonense, localizada na Zona Centro-Sul da capital, transformando-a em avenida dos Pássaros. A medida surge em resposta ao polêmico caso da morte de mais de 250 periquitos na avenida desde novembro do ano passado.

O projeto de lei, de nº 346/2014 e autoria do vereador Professor Bibiano (PT), já foi deliberado pela Câmara Municipal de Manaus (CMM) e deve começar sua tramitação em breve. De acordo com o parlamentar, ele veio atender a pressão de grupos que manifestaram contra a morte dos animais e queriam cimentar o fato na consciência coletiva. 

"Acolhemos ao pedido desses grupos justamente por entendermos, como eles entendem, que um fato desses não pode ser esquecido. Compreendemos que há todo um histórico que acompanha a pessoa homenageada com o atual nome da avenida, que já foi até governador, mas entendemos também a necessidade de ressaltar a gravidade do ocorrido, gravidade essa só reforçada pelo fato de ter acontecido aqui em Manaus, capital localizada no meio da Floresta Amazônica", explicou Bibiano.

Segundo o parlamentar, os próximos passos do projeto de lei serão a remessa à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da Câmara e a apreciação pelos demais vereadores, que emitirão seus pareceres. Ele ainda disse que pretende pedir ao atual presidente da Casa, Wilker Barreto (PHS), que seja dada celeridade ao trâmite. 

"Espero sinceramente que esse fato possa se tornar um marco para que coisas dessa natureza nunca mais aconteçam, seja com pássaros seja com qualquer tipo de animal", concluiu o vereador.

O caso

Mais de 200 periquitos apareceram mortos na avenida Ephigênio Salles, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul, em frente ao condomínio de luxo de mesmo nome, na manhã do dia 27 de novembro. Na ocasião, agentes do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) recolheram corpos de alguns pássaros para que passasem por exames toxicológicos que ajudassem a elucidar o ocorrido. A suspeita era de que as aves teriam sido envenenadas.

No dia 29 de novembro, aproximadamente 250 pessoas ocuparam a frente do condomínio Ephigênio Sales, para protestar e pedir justiça pelos periquitos mortos. Dias depois, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) instaurou um inquérito para apurar o caso e o Ipaam remeteu os corpos dos animais para o laboratório da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para que fossem examinados, uma vez que, segundo o órgão ambiental, o Amazonas não possui laboratório de toxicologia veterinária.

O laudo da UFMG, divulgado no dia 20 de dezembro, descartou a possibilidade de intoxicação dos periquitos por venenos tradicionais, como para ratos ou "chumbinho", mas detectou "níveis residuais" de agrotóxicos nos cadáveres dos bichos.

O Ipaam informou que esses níveis não podem ser apontados como fator principal da morte devido à alimentação dos periquitos-de-asas-brancas, que têm vida livre e se alimentam nos mais diversos locais, mas que a tese de envenenamento não estava descartada e ainda era trabalhada em paralelo com outras duas teses: atropelamento e doenças microbiológicas.

No ínterim, a comoção pública não impediu outros 40 periquitos de aparecerem mortos no dia 16 de dezembro. Dez dias depois, o Ipaam instalou placas de sinalização alertando sobre a presença dos animais no trecho da avenida em que os corpos dos animais foram encontrados.

Publicidade
Publicidade