Domingo, 25 de Agosto de 2019
MAUS TRATOS

Projeto de Lei quer proibir uso de correntes em animais domésticos no Amazonas

Caso a Lei proposta pela deputada Joana Darc (PR) seja aprovada, pessoas que prendam os animais com corrente podem ser multados em até R$ 105,4 mil



cacc83o-amarrado_8F60E1C7-89DF-48FE-8ECB-2F89CC80B817.jpg Foto: Reprodução/Internet
03/07/2019 às 19:05

Um projeto de Lei (PL) proposto pela deputada Joana Darc (PR), líder do governo na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), pretende proibir o uso de correntes em animais domésticos no estado do Amazonas, além de punir com multa pessoas que desobedeçam a lei.

Conforme o texto da proposta (veja aqui) que tramita na Assembleia, o uso de correntes que restringem a liberdade de locomoção dos animais e os aprisionem de forma permanente ou rotineira em algum lugar fixo, de forma contínua, pode ser considerado como maus-tratos e crueldade.

A multa para os que descumprirem a lei de forma leve, ou seja, casos onde não existam lesão é de 300 Unidades Fiscais de Referência (Ufir). Já nos casos de lesão moderada ou grave ao animal, o valor seria dobrado para 600 Ufir. Em ocorrências de morte do animal, a multa chegaria a até 1 mil Ufir.

Apesar de usada no texto da proposta, a Ufir já não é mais usada no Amazonas como referência para valores de multas e afins. No seu lugar, é utilizada como referência a Taxa Selic. Questionada pela reportagem, Joana Darc respondeu, por meio de sua assessoria de imprensa, que o valor a ser considerado na multa é o de Unidade Fiscal do Município (UFM) - que no caso de Manaus é R$ 105,40. Tomando como base a UFM da capital, a multa leve seria de R$ 31,6 mil enquanto a mais severa chegaria a R$ 105,4 mil.

Ainda segundo a proposta, os animais que sofrerem os maus-tratos da Lei deverão ser recolhidos e, imediatamente, enviados aos cuidados do órgão da Prefeitura de cada município ou a Organizações Não Governamentais (ONG), que tenham como finalidade o cuidado de animais vítimas de violência ou abandono.


A deputada Joana Darc é conhecida pela sua atuação em defesa dos animais. Foto: Divulgação/CMM

Justificativa

Ao justificar a proposta de Lei, a deputada Joana Darc alegou que o tema é de interesse público e visa à proteção dos animais domésticos. Segundo a líder do governo, sempre que são acorrentados permanentemente e privados de sua liberdade de locomoção, os animais domésticos estão sendo submetidos a maus-tratos.

Conforme Joana Darc, nos casos onde o responsável não dispuser temporariamente de outro tipo de contenção que não seja o proibido pela lei, o animal poderá ser preso a uma corrente especial, do tipo ‘vai e vem’, que proporcione espaço suficiente para que o animal se movimente, sente ou deite.

Para a deputada, o projeto está em consonância com o artigo 225 da Constituição Federal, que trata sobre a proteção ambiental, além da Lei de Crimes Ambientais (9.605/98), que dispõe, entre outros, das sanções decorrentes de condutas ou atividades que lesem o meio ambiente.

Receba Novidades

* campo obrigatório
News pedro01 9f97d6e2 e058 4e63 8ce7 e934cf255a3d
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.