Publicidade
Manaus
Educação

Projeto estimula amor pela língua portuguesa

'Futuros escritores' estimula alunos a escreverem seus próprios livros e faz crescer nas crianças o interesse pela gramática e literatura 19/08/2016 às 09:45 - Atualizado em 19/08/2016 às 09:53
Show edu.eq r.16
Estudantes da escola Carolina Perolina mostram seus próprios livros, feitos com material reciclado
Isabelle Valois Manaus

Criar pequenos escritores dentro da sala de aula. Essa é a proposta da professora da Escola Municipal Carolina Perolina Raimundo, Elcivan da Silva Duarte, para estimular o aprendizado da gramática, da língua portuguesa, a leitura e até mesmo a literatura entre os alunos do ensino fundamental, que produzem o próprio livro ao longo do semestre letivo.

Batizado como “Futuros Escritores”, o projeto resulta em uma cerimônia de lançamento dos livros escritos pelos estudantes, realizada diz 17 de agosto, com a publicação de 180 obras elaboradas por alunos de todas as turmas do 6° ano.

Durante o evento, alguns alunos tiveram a possibilidade de ler um trecho do livro ou recitar parte do poema para familiares e servidores da escola que foram prestigiar o evento.

Inspiração

Para ‘inspirar’ esses futuros escritores, foram realizadas oficinas e palestras com os escritores Raimundo Gomes, Danniel Valente e Rita Alencar, que compartilharam experiências com os alunos, que ciraram de tudo um pouco: contos, poesias e até dicionário de gírias.

Mas a inovação não parou aí. Os estudantes usaram material reciclável para dar vida às suas ideias, transformando-as em histórias. Foi assim com a estudante Mikaelle Vasconcelos dos Santos, de 11 anos. Representando todos os “poetas mirins”, ela leu um trecho de um poema que escreveu, que conta a vida de uma menina que não teve infância.

Mikaelle contou se inspirou nos próprios sentimentos para idealizar a personagem principal do poema. “Quando somos jovens, não entendemos por que nossos pais chamam nossa atenção, brigam e até nos coloca de castigo. Muitas vezes achamos que somos infelizes e que queremos uma nova vida, acreditamos que perdemos a infância, mas a verdade é outra. Sempre há o bem em cada situação e refletir. Não há fadas para resolver os problemas, mas há o amor que nos guia, principalmente o amor da família”, comentou.

Diferente de Mikaelle, a estudante Talita da Cunha, 11, construiu um romance baseado em um drama comum a todos nós: a ameaça à preservação. A história, nomeada como “Coração do Ser”, fala sobre a importância do cuidado com a natureza. “Espero conseguir tocar o coração de quem se disponibilizar a ler o meu livro. Foram meses de dedicação à história. Esta foi uma das melhores atividades que já participei na escola, uma forma diferente de aprender”, disse a jovem escritora.

Desde 1991

A metodologia do projeto é idealizada pela professora de língua portuguesa Elcivan da Silva Duarte. O projeto teve início em 1991, quando Elcivan fazia parte do corpo técnico de professores do Estado de Mato Grosso.

Àquela época, o projeto era considerado um experimento, mas desde que veio para Manaus, Elcivan percebeu como os alunos se dedicavam e melhoram o aprendizado e adotou o experimento como projeto próprio. “Todos os anos realizo essa atividade com os alunos. Percebo como floresce a criatividade deles. A elaboração do livro cria expectativas, principalmente quando eles passam pela oficina com os escritores, e isso é gratificante”, comentou.

Durante as aulas de lingua portuguesa, Elcivan busca apresentar a leitura aos alunos de uma forma diferente. “Eles aprendem que, para ter um vocabulário mais rico, precisam ler e, assim, conseguirão escrever o próprio livro”, disse.

Publicidade
Publicidade