Publicidade
Manaus
“Sementes da Vida”

Projeto do TJ-AM vai plantar uma muda a cada bebê nascido em Manaus

A estimativa é do juiz da Vara do Meio Ambiente e Questões Agrárias, Adalberto Carim, durante o lançamento do projeto “Sementes da Vida”, que a partir de agora irá plantar uma muda de árvore para cada criança que nascer nas maternidades Moura Tapajós e na Ana Braga 29/11/2016 às 05:00
Show arvore03
Projeto “Sementes da Vida” (Winnetou Almeida)
Isabelle Valois Manaus (AM)

Pelo menos 100 mil crianças ou mais vão precisar nascer nos próximos anos para conseguir rearborizar os 61 hectares que foram degradados na invasão  que ficou conhecida como “Cidade das Luzes”, localizada no Tarumã, Zona Oeste. A estimativa é do juiz da Vara do Meio Ambiente e Questões Agrárias,  Adalberto Carim, durante o lançamento do projeto “Sementes da Vida”, que a partir de agora irá plantar uma muda de árvore para cada criança que nascer nas maternidades Moura Tapajós e na Ana Braga.

De acordo com Carim, as mudas por enquanto serão destinadas para o plantio em áreas que tiveram degradação ambiental com o processo de invasão. “Nossa ideia é de plantar pelo menos 12 mil mudas por ano. Então, a cada criança que nascer nessas duas maternidades, receberá junto com a certidão de nascimento, a certidão do plantio da muda, com todas as informações necessárias para que no futuro a criança como também os familiares possam acompanhar o crescimento daquela muda”, explicou o juiz.

O projeto surgiu a partir de  conversas entre membros do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) e demais órgãos  que atuam diariamente no combate aos crimes ambientais. De início, o grupo decidiu que as mudas devem ser plantadas nessas áreas que foram mais devastadas.

Solenidade
Para dar início ao projeto, mais de 30 mudas de diversas espécies de árvores foram plantadas ontem em torno do edifício Desembargador Arnoldo Carpinteiro Péres, sede do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), localizado na avenida André Araújo, Aleixo, Zona Centro-Sul.

As mudas foram plantadas por filhos dos servidores do tribunal. Cada criança recebeu o certificado do plantio contendo as informações da espécie e o local específico onde ficará a muda. De acordo com o juiz Carim, os plantios e os certificados começaram a ser emitidos desde ontem nas duas maternidades tanto da Zona Oeste como também a da Zona Leste.

“Esperamos que outras maternidades e instituições também abracem a ideia e que o projeto tenha continuidade. Assim vamos conseguir melhorar a estrutura de arborização de Manaus, que infelizmente é uma das cidades mais desprovidas ”, disse Carim.

Depredação é um problema
O coordenador de extensão do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), Carlos Roberto Bueno, explicou que um dos problemas que ocorrem em Manaus quando se faz o replantio de árvores é a depredação. “Em média 40% de um total de mudas que são replantadas conseguem crescer. O restante, na maioria das vezes é depredada pela própria população, mas tivermos consciência, esse dados podem mudar e Manaus possa ser uma cidade modelo para demais cidades do país”, reforçou o pesquisador.

Áreas que foram ocupadas e tiveram grandes depredações ambientais, como ao redor do conjunto habitacional Viver Melhor e também a área onde um dia foi a comunidade Cidades das Luzes serão a prioridade para receber esse plantio.

Publicidade
Publicidade