Publicidade
Manaus
Manaus

Prontos-Socorros de Manaus registram mais de 16 mil atendimentos, em uma semana

O Pronto-Socorro Platão Araújo registrou 6.518 atendimentos, seguido do Hospital 28 de Agosto, com 4.582, Delphina Aziz, com 3.316, e João Lúcio com 2.347 15/02/2016 às 17:35
Show 1
Os principais prontos-socorros da Susam já adotam o acolhimento dos pacientes com o protocolo de “Classificação de Risco"
acritica.com* Manaus (AM)

Os hospitais e prontos-socorros da rede estadual de saúde realizaram, somente na última semana – de 08 a 14 de fevereiro –, 16.763 atendimentos. O balanço, apresentado pela Secretaria Estadual de Saúde (Susam), inclui os Hospitais e Prontos-Socorros Dr João Lúcio Pereira Machado e Dr Aristóteles Platão Bezerra de Araújo, na zona Leste, 28 de Agosto, no Centro-Sul, e Delphina Rinaldi Abdel Aziz, na zona Norte. O Pronto-Socorro Platão Araújo registrou 6.518 atendimentos, seguido do Hospital 28 de Agosto, com 4.582, Delphina Aziz, com 3.316, e João Lúcio com 2.347.

O secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, chama atenção para o número de pessoas que busca a rede de urgência de alta complexidade, com problemas que poderiam ser resolvidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), que são da Prefeitura, ou nos SPAs, do Governo do Estado.

Pedro Elias cita, por exemplo, o caso do Hospital Delphina Aziz, que atendeu, somente neste período, 918 pacientes com diarreia e 852 apresentando febre. “Apesar de ter sido uma semana atípica, por conta do feriado prolongado, com as unidades de Atenção Básica tendo funcionado somente na quinta e sexta-feira, os SPAs atenderam normalmente, em regime de 24h. A prática de procurar os grandes pronto-socorros, mesmo em situações de baixo risco, é comum, mas temos procurado orientar a população sobre as alternativas mais adequadas oferecidas pela rede, para atendimento nesses casos”, frisou.

Para reforçar esse trabalho, Pedro Elias adianta que a Susam irá lançar, muito em breve, um aplicativo que ajudará o usuário a localizar a unidade mais adequada para atendê-lo e que seja próxima a sua residência.

Ele ressalta que desde setembro do ano passado a Susam vem realizando um trabalho de reordenamento do fluxo de atendimento nas unidades de urgência e emergência da capital. O objetivo desse trabalho é retirar a sobrecarga dos prontos-socorros, que hoje recebem um volume grande de pacientes que não são de urgência e emergência.

Os principais prontos-socorros da Susam já adotam o acolhimento dos pacientes com o protocolo de “Classificação de Risco”. Este modelo, que é recomendado pelo Ministério da Saúde, prevê que o atendimento seja feito com base na situação clínica (gravidade) apresentada pelo paciente e não na ordem de chegada. 

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade