Publicidade
Manaus
15 dias sem água

Moradores da ZL prometem fechar principais ruas se abastecimento não for normalizado

Enquanto reparos na bomba de captação de água bruta da Ponta das Lajes, do Proama, não encerram, toda a Zona Leste é abastecida com carros-pipas que não dão conta da demanda nos vários bairros da região 08/06/2016 às 22:16
Isabelle Valois Manaus (AM)

Os moradores de bairros da Zona Leste que estão há mais de 15 dias sem abastecimento de água prometem fechar as principais ruas da região se o problema não for resolvido neste fim desta semana.

Nesta quarta-feira (8), os moradores do bairro Armando Mendes fecharam durante o dia a avenida Itacolomi, que fica bem em frente a feira do bairro. Era um protesto por causa da falta do serviço de abastecimento. Os manifestantes informaram que desde novembro do ano passado, a falta de água é uma rotina. Eles dizem que é sorte ter dois dias consecutivos de água, enquanto passam semanas sem o abastecimento.

A maior revolta é quando chegam as contas no fim do mês. Em média precisam pagar  R$ 400,00, mas além da fatura mensal eles precisam comprar por dia garrafões de água mineral para suprir as necessidades.

Conforme o líder comunitário do Armando Mendes Josimar Gadelha, há empresas particulares que nos últimos dias, passam nas ruas do bairro vendendo água em carros-pipas. Para encher uma caixa de água de mil litros cada morador precisa pagar R$ 50. Dependendo da necessidade, a quantidade  dura até três dias, mas se a necessidade for maior, como lavar roupa, só  dura dois dias.

“A conta de água vem e sempre é um absurdo. Como vamos pagar R$ 400 por um serviço que não temos? Precisamos que a prefeitura fiscalize esta situação. A empresa responsável pelo abastecimento informa algo e não cumpre. Até agora os carros pipas não passaram nas ruas do Armando Mendes”, disse Josimar Gadelha.

No  bairro Nova Vitória a situação não é diferente. Na terceira etapa do bairro os moradores relatam  que a falta de água se tornou algo comum. “Estranho seria se realmente tivéssemos água todos os dias nas torneiras. Essa história que a situação do bairro foi regularizado nunca foi verdade. Água aqui é quase um milagre, quando vem na torneira, todos de casa correm para tomar banho, pois não sabemos quando será o dia propício que teremos a oportunidade de tomar um banho digno”, disse a professora Rosilene Vasconcelos, 38, moradora da rua Jordão, uma das principais do Nova Vitória.

Após 15 dias sem abastecimentos, os moradores do bairro Nova Vitória informaram que nesta quarta-feira foi a primeira vez que o carro-pipa da concessionária Manaus Ambiental passou realizando o abastecimento das caixas de água dos moradores. Porém, apenas um carro que transporta 10 mil litros de água estava realizando o serviço. Quando terminava a água, o carro-pipa precisa retornar para o poço existente no conjunto Cidade Nova e realizar o reabastecimento do tanque para retornar ao bairro.

Nova Vitória possui reservatório que nunca foi usado

Assim como nos demais bairros, o Nova Vitória possui reservatório de água da concessionária que estão inutilizados, como é o caso da rua Pelotas. Conforme o autônomo, Luciano Santos que mora em frente ao reservatório, ele  existe desde 2007, mas nunca foi utilizado. “Isso sim é o famoso elefante branco, pois foram investido uma bom dinheiro e o reservatório não serve pra nada, nem para enfeitar a paisagem. Quando construíram, informaram que o bairro não ficaria mais sem  água, porém desde que o construíram esse reservatório nunca viu água”, revelou.

A dona de casa Gisele Gleice, 37, informou que a situação tem sido cada vez pior, pois como ficou desempregada, o dinheiro que servia para comprar o alimento dentro de casa tem tomado outro rumo, pois precisam comprar água para lavar roupa, cozinhar e até mesmo para o banho.

“Estamos esquecidos, ninguém faz nada para essa situação mudar. A falta de água no bairro é algo mais que comum, porém está cada vez pior. Precisamos que essa situação realmente seja fiscalizada, pois pagamos por um serviço que não temos e é de nosso direito”, disse a dona de casa.

Emergencial

A Manaus Ambiental  informou que desde que detectaram um problema na bomba de captação de água bruta da Estação de Tratamento da  Ponta das Lajes, do  PROAMA  está com um plano emergencial para para distribuição de água nas áreas afetadas, providenciando abastecimento, através de caminhões pipas para os clientes especiais e preferenciais.

Publicidade
Publicidade