Publicidade
Manaus
Manaus

Protesto: Estudantes dos cursos de tecnologia da UEA denunciam falta de professores

Os universitários realizam manifestação na manhã desta terça-feira (12). Cerca de 500 alunos partiram em caminhada da Escola Superior de Tecnologia, localizada na Avenida Darcy Vargas, bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul, até a sede da reitoria, localizada na Avenida Djalma Batista, na mesma Zona 12/03/2013 às 18:38
Show 1
Os universitários partiram da sede da Escola, localizada na Avenida Darcy Vargas, bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus, até a sede da reitoria, localizada na Avenida Djalma Batista, na mesma Zona
JOELMA MUNIZ Manaus

Acadêmicos da Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) realizam manifestação na manhã desta terça-feira (12) para solicitar a imediata contratação de professores para o segundo maior Campus da Universidade em Manaus,

Ao menos 500 universitários partiram da sede da Escola, localizada na Avenida Darcy Vargas, bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul de Manaus, até a sede da reitoria, localizada na Avenida Djalma Batista, na mesma Zona.

De acordo com o presidente do Diretório Acadêmico da UEA, Jeberson Souza, o objetivo é revelar para a sociedade a falta de docentes na Escola. “Existem alunos que estão com o período final de seus cursos indefinidos por conta disso. Sabemos que os problemas são políticos e administrativos, mas queremos solução para o impasse que já dura dois anos”, reclamou, lembrando que o pedido para a contratação de novos professores foi feito no ano de 2011.


Em nota

O Sindicato dos Docentes da Universidade do Estado do Amazonas (SINDUEA), e o Diretório Central dos Estudantes da UEA (DCE) afirmam que os problemas vão alem. Em nota divulgada a imprensa, eles comentam a existência de descumprimento do plano de cargos, carreira e remuneração (PCCR) dos docentes e técnicos da UEA, inclusive com a falta de pagamento e gratificação de produtividade acadêmica dos professores, direito adquirido pela luta da categoria quando da aprovação do plano em total desrespeito ao PCCR.

Não promoção de mais de 200 professores já aprovados no estágio probatório gerando perdas e desconfortos para estes profissionais. As promoções relativas às titulações, de quem fez mestrado e doutorado no mesmo período, foram todas postergadas em função da morosa burocracia da administração. Há casos que já perduram três anos, afirma nota.

Resposta da UEA

A assessoria da UEA enviou nota à imprensa sobre o ocorrido. De acordo com a nota, o reitor da instituição, José Aldemir de Oliveira, declara que:


1) A atual gestão superior da UEA está totalmente empenhada em oferecertodas as condições necessárias para que todos os seus alunos possam concluir suas graduações de forma qualificada;

2) Há total comprometimento no sentido de garantir a presença de professores em sala de aula. Para tanto, desde que assumiu, o reitor José Aldemir priorizou a realização dos concursos públicos para os professores da Universidade, o que possibilitou uma evolução do número de professores efetivos, que saltou de 380 para 640 entre junho de 2010 até janeiro de 2013.

3) Observa-se que a substituição de professores contratados temporariamente por professores concursados é necessária para o fortalecimento da instituição e se dá, também, por imposição legal, no sentido de compor o quadro de docentes efetivos da UEA, e, ainda, para reverter uma situação irregular dos contratos anteriores, muitos dos quais datavam do início da UEA, contrariando frontalmente a Lei, que prevê tempo limite para contratação.

4) De 2010 até o presente momento, entre concursos realizados e em andamento, a UEA lançou 13 editais, envolvendo 235 áreas de conhecimento e 630 vagas, as quais ainda não foram totalmente preenchidas. Além disso, na UEA, todos os professores são titulados em algum nível de pós-graduação. Dos 970 docentes pertencentes ao quadro da UEA em 2012, 157 são doutores e 388 são mestres. Em Manaus, a Escola Superior de Ciência da Saúde, por exemplo, conta com um quadro de professores de nível superior que se compara ao de muitas universidades mais antigas do país. Nessa unidade, dos 294 professores, 50 possuem doutorado, 84 são mestrese 159 são especialistas.

5) Estão em curso, ainda, Processos Seletivos Simplificados para agilizar a contratação de 75 professores, dos quais 26 são para a Escola superior de Ciências da Saúde (ESA) e 23 para a Escola Superior de Tecnologia (EST). Alguns destes processos são para suprir a demanda de alunos desperiodizados e outros para suprir a demanda enquanto os concursos, cujos processos são mais demorados, estão em andamento. Todos os concursos que estão sendo
realizados, bem como os editais dos Processos Seletivos em andamento podem ser consultados no portal da instituição.

6) Sobre materiais para laboratórios, a UEA esclarece que: foram alocados, no orçamento da UEA para o exercício de 2013, R$ 10 milhões para serem gastos em Laboratórios Didáticos Especializados. Este valor foi informado aos diretores. Recentemente, durante Encontro Acadêmico com os Coordenadores de Curso das Unidades da Capital e do Interior, a UEA orientou sobre a necessidade de que os laboratórios estejam discriminados nos Planos Pedagógicos de Curso (emreformulação). Em termos de material permanente (equipamentos delaboratório e informática), os investimentos saltaram de R$210.456,27, em 2010, para R$ 1.282.995,77 em 2011.

7) Em 2011, a atual gestão abriu, pela primeira vez, um edital para infraestrutura, específico para compra de material para os laboratórios e com vistas ao apoio aos grupos de pesquisa. Nove propostas foram contempladas com apoio financeiro para compra de material permanente.

8) Sobre o acervo bibliográfico, esclarecemos que são feitos investimentos permanentes, sobretudo para compra de títulos. O Governo do Amazonas também autorizou a compra de novos títulos, inclusive digitais.Esta gestão alocou para o ano de 2013 o valor deR$1.000.000,00 para investimento em acervo bibliográfico e, com o fim de dar agilidade ao processo, está implementado novo modelo de licitação no qual o licitante vencedor (tendo
como base o maior desconto em relação preço de capa) ganha para fornecer o acervo de mandado até o limite disponibilizado no orçamento (R$1.000.000,00).

10) Sobre a discordância de parte dos alunos em estudar na Cidade Universitária, que vai ser construída em Iranduba, ressalta-se que se trata de um projeto em construção.Nada será feito sem que haja o entendimento entre as partes envolvidas, em especial, levando-se em consideração as necessidades da comunidade acadêmica.

11)Sobre as eleições diretas na instituição, o reitor José Aldemir de Oliveira destaca que esse não é um assunto que deva ser definido na instância onde ele atua, mas salienta que está em curso o Processo Estatuinte da UEA que, até o fim deste ano, resultará na reforma do estatuto da Universidade, que estabelece, entre outros pontos, todas as normas e diretrizes que dizem respeito aos interesses da comunidade acadêmica e ao funcionamento da instituição. O Processo Estatuinte está sendo conduzido por uma comissão de professores, alunos e servidores técnico-administrativos da UEA para divulgação das atividades, bem como para a mobilização de toda a comunidade acadêmica, que está sendo convidada a contribuir com a elaboração deste novo estatuto.

Publicidade
Publicidade