Publicidade
Manaus
MANIFESTAÇÃO

Protestos contra a reforma da previdência continuam na tarde desta quarta, em Manaus

Dentre as principais mudanças estão o aumento  do tempo de contribuição, que sobe de 15 para 25 anos 15/03/2017 às 16:57 - Atualizado em 15/03/2017 às 17:32
acritica.com Manaus

As manifestações que começaram pela manhã em todo o Brasil, seguem na tarde desta quarta-feira (15). No Centro de Manaus, sindicatos e entidades sociais protestaram contra a reforma da previdência proposta pelo Governo Federal. Centenas de pessoas estão reunidas e participam do ato. 

Dentre as principais mudanças estão o aumento  do tempo de contribuição, que sobe de 15 para 25 anos, e a idade mínima para a aposentadoria, que passa a ser 65 anos. Os manifestantes estão concentrados na Praça do Congresso.  

Para o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Amazonas (Sinteam), Marcus Libório, a reforma da previdência é um retrocesso. "Se for aprovada, ela vai acabar com a vida profissional de todos os trabalhadores, sejam eles públicos ou privados. Um exemplo disso é a idade mínima de 65 anos, para homens e mulheres. Para receber a aposentadoria integral, você terá que começar a trabalhar aos 16 anos", argumentou. 

Por conta do protesto, houve um grande congestionamento nas vias de acesso ao Centro de Manaus. A Avenida Constantino Nery era uma das mais congestionadas, com grandes filas de ônibus formadas.

 

Publicidade
Publicidade