Publicidade
Manaus
Manaus

Psol quer vaga na Assembleia Legislativa do Amazonas

Meta foi divulgada pelo novo presidente estadual da legenda, o ex-dirigente do Sindicato dos Metalúrgicos Elson Melo 02/11/2013 às 09:07
Show 1
Presidente estadual do Psol, Elson Melo, afirma que o partido lançará candidato para o Governo do Estado em 2014
Lúcio Pinheiro Manaus, AM

O Partido Socialismo e Liberdade (Psol) vai apostar na insatisfação popular com os atuais governantes - demonstrada em junho nas ruas - para dar força ao projeto de governo da esquerda socialista como alternativa ao eleitorado em 2014. A afirmação é do ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos e ex-petista, Elson Melo, eleito no dia 26 presidente regional do Psol.

“Você sabe que a conjuntura, depois de junho, pode mudar a qualquer momento. E o partido político tem que está preparado, organizado para se apresentar nesses momentos importantes, um momento de ruptura da população com o status quo que está no poder”, declarou Melo.

Além de ter um nome disputando o Governo do Amazonas, o presidente do Psol disse que um dos principais objetivos da sigla é abocanhar uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM). Para esse objetivo, Melo afirma que nomes com potencial de votos estão sendo levantados para compor uma chapa forte.

“Hoje, no balanço preliminar que temos, achamos que faremos diretamente um (deputado estadual) e disputaremos uma segunda vaga na sobra (de votos). Acho que vai dar tranquilo para fazer um (deputado) direto. É uma projeção realista”, afirmou Elson Melo.

Sobre as alianças para 2014, o novo presidente do PSOL no Amazonas diz que a tradicional parceria com PCB e PSTU deve continuar. Mas a sigla estará aberta para dialogar com outros partidos. Desde que o futuro aliado também esteja insatisfeito com o atual projeto de Governo do Estado. “Nossa missão é unir a esquerda socialista e os descontentes com a política e os políticos amazonenses”, afirmou o dirigente. 

Elson Melo tem 56 anos. Natural de Urucurituba, no Amazonas, ele veio para Manaus em 1976. Ainda no final da década de 1970, participou da fundação do Partido dos Trabalhadores (PT), onde chegou a ser presidente municipal. Além de presidir a Central Única dos Trabalhadores (CUT), Melo comandou também o Sindicato dos Metalúrgicos, no início da década de 1990.

Em 1993, Elson Melo saiu do PT, e ainda nos anos 1990 deixou a militância também do Sindicato dos Metalúrgicos. Segundo ele, a ruptura com o ex-partido e com o sindicato foi em uma hora ruim. “O homem tem que saber a hora certa de sair. Mas, na verdade, sai um pouco antes da hora dos dois. Saí por questões internas. Mas não costumo acumular muito tempo nos cargos que assumo. Precisamos de sangue novo. E a juventude precisa ser protagonista”, afirmou.


Alcebíades e Nelson Fraiji são os nomes da legenda

O professor aposentado e ex-vice-reitor da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Alcebíades Oliveira, e o diretor-presidente do Hemoam, o médico Nelson Abrahim Fraiji, são os principiais pré-candidatos ao Governo do Amazonas do Psol, disse ontem Elson Melo.

Alcebíades disse que se for o escolhido, aceitará a missão. Mas afirma que não é um projeto pessoal a candidatura. “Me considero um voluntário nessa luta do Psol. Não quero dizer que sou candidato, mas tenho meu nome aí. O trabalho do partido é escolher um nome com visibilidade. Se for o meu nome o indicado, aceitarei. Mas não significa que vou fincar o pé”, disse o professor universitário.

Alcebíades disse que o seu principal objetivo na legenda é ajudá-la a formar um oposição séria no Estado. “Não temos um projeto pessoal. E sim de partido, de formar um oposição autêntica. E o partido está disposto a fazer isso com um grupo de pessoas e estudiosos sérios”, declarou o pré-candidato.

Filiado ao Psol há menos de dois meses, o diretor-presidente do Hemoam, Nelson Abrahim Fraiji, disse que está envolvido demais na instalação do hospital do sangue, em Manaus, por isso descarta uma candidatura em 2014.

“O meu projeto de trabalho é ligado ao Hemoam. O partido tem um bom nome que é o Alcebíades. Ele tem uma história de seriedade e cuidado com a coisa pública, e experiência de gestão”, disse Nelson Fraiji.


Publicidade
Publicidade