Publicidade
Manaus
POLÍTICA

PT lança Comitês Populares no Amazonas em defesa e apoio ao ex-presidente Lula

A executiva estadual do partido informou que o primeiro Comitê Popular do PT no Estado será lançado no próximo dia 26 22/12/2017 às 15:14
Show pt 123
Foto: Geizyara Brandão
Geizyara Brandão Manaus (AM)

O primeiro Comitê Popular do Partido dos Trabalhadores (PT) será criado no próximo dia 26 de dezembro em Manaus, com o objetivo de prestar apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que será julgado no dia 24 de janeiro na Operação Lava Jato. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (22) pela executiva estadual do PT.

Serão criados mil comitês no Amazonas formados por simpatizantes, eleitores do Lula e militantes, de acordo com a executiva estadual. Hoje o PT possui aproximadamente mil filiados no Estado.

“Diante do que foi decidido no diretório nacional do PT, diante da decisão da Justiça [...], decidiu nesse período se mobilizar em defesa do presidente Lula, em defesa da democracia, em defesa do direito do Lula ser candidato”, afirmou o deputado estadual da sigla José Ricardo.

LEIA MAIS: Julgamento de Lula no caso do tríplex é marcado para o dia 24 de janeiro de 2018

LEIA MAIS: Presidenciáveis visitam Manaus e usam capital do Amazonas como ‘vitrine’

Os membros do partido questionam a rapidez em que o processo tramitou na Justiça, diferente de outros casos. A mobilização pretende, dependendo da verba disponível, estar presente durante o julgamento que ocorrerá em Porto Alegre (RS).

De acordo com o deputado, a movimentação visa as eleições do próximo ano e pelas duas últimas pesquisas realizadas, sendo uma delas da DataFolha, Lula aparece como o favorito. “O PT é um partido com maior aceitação, até mais do que o PMDB que está no poder”, disse.

Visita a Manaus

O ex-presidente já realizou três Caravanas, o Amazonas receberá a Lula em fevereiro ou março de 2018, segundo José Ricardo.

O ex-senador João Pedro assegurou que a militância quer a participação de Lula nas eleições de 2018, sendo que esse é o motivo da movimentação.

“Estamos contra essa tentativa de inviabilizar um militante popular, que tem como identidade um projeto popular de inclusão, um projeto que tem um olhar diferenciado para América Latina, para África, para os pobres desse País. O Lula padece da perseguição da elite brasileira”, destacou.

Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses por corrupção e lavagem de dinheiro em 1ª instância, em 12 de julho, no caso triplex. O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) é o tribunal de apelação. Se a condenação de Lula for confirmada pelo colegiado, ele poderá se tornar inelegível pelos critérios da Lei da Ficha Limpa.

Publicidade
Publicidade