Publicidade
Manaus
ANIMAÇÃO

Público chega cedo à Ponta Negra para garantir lugar na festa de Réveillon

Teve gente que ficou com medo da chuva e levou até barraca para assistir a queima de fogos e os shows da noite 31/12/2017 às 21:05 - Atualizado em 31/12/2017 às 21:07
Show whatsapp image 2017 12 31 at 20.45.10
(Fotos: Jair Araújo)
Álik Menezes Manaus

Bandas locais e atrações nacionais comandam os shows nas últimas horas antes da virada do ano nas principais áreas da cidade. Na Ponta Negra, na Zona Oeste, a festa começou às 19h com a apresentação da DJ May Devem. 

O universitário Lucas Abreu, 22, saiu cedo de casa para não correr riscos de perder nenhum minuto da festa. "Fiz o possível para chegar cedo e não perder nada. Vim com amigos e família para encerrar 2017 e começar 2018 me divertindo com as melhores pessoas da minha vida". 

Já a auxiliar de escritório Kátia Helena da Silva, 34, disse que chegou às 19h e só volta para casa quando o dia amanhecer. "A energia aqui é contagiante, vou ficar aqui divertindo, agradecendo a Deus, hoje é dia de aproveitar cada instante",disse. 

Às 20h banda Pororoca Atômica subiu ao palco, instalado na Praia da Ponta Negra. Às 21h20 a dupla João Victor e Rodrigo sobe ao palco para continuar a festa.

Quem ainda quiser ir à Ponta Negra, poderá assistir as apresentações de Adriano Arcanjo, Taty Corazon Jéssica Stephens e Márcio Cigano.

Após o show pirotécnico, o show ficará sob o comando da Banda Raça Negra. A dona de casa Maria do Carmo Soares, 49, disse que as músicas da banda embalaram momentos marcantes da vida dela e ela não poderia perder a oportunidade de vê-los mais de perto. "Chegar cedo, ocupar um lugar e não sair mais daqui. A festa vai ser linda",disse. 

'Acampamento' na virada de ano

Pensando na possibilidade de chuvas, populares trouxeram e armaram barracas em vários pontos do ponto turístico. A professora Cristiane Silva, 40, contou que no ano passado sofreu com a forte chuva que atingiu Manaus durante o réveillon. "Fui pega de surpresa no ano passado, mas esse ano me programei. Trouxe comida, bebida e a barraca nos dá mais conforto em caso de chuva. E eu também estou com quatro sobrinhas menores e meu filho, então a gente acaba pensando no conforto deles mesmo, disse. 

O administrador Carlos Eduardo Miranda, 29, também foi um dos que armou barraca para passar a noite toda na Ponta Negra. "Todos os anos eu trago tudo que vou precisar, a barraca para mim é item indispensável. Cheguei no fim da tarde para conseguir pegar um local privilegiado e poder contemplar os shows e a queima dos fogos", disse.

Publicidade
Publicidade