Publicidade
Manaus
POLÍCIA

Quadrilha presa em Manaus tentaria levar R$ 1,5 milhão de carro-forte, diz polícia

Suspeitos foram presos ontem (25) e apresentados neste sábado (26) pela Polícia Civil. Tentativa de roubo ocorreu no bairro Compensa, Zona Centro-Oeste 26/05/2018 às 20:39
Show quadrilha
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A quadrilha presa ontem momentos antes de assaltar uma agência bancária no bairro Compensa, Zona Centro-Oeste, tentaria levar cerca de R$ 1,5 milhão de um carro-forte. Sete homens foram presos e apresentados na manhã deste sábado (26) pela Polícia Civil.

A quadrilha era composta por Elias Sousa Silva Júnior, 20; Fernando Matos da Costa, 22; Johny Robert Barreto Romero, 22; Matheus de Souza Sá, 19; Paulo Henrique Tavares Júnior, 20; Renato Nunes da Costa, 25; e Rodrigo de Araújo Carvalho, 28.

De acordo com o delegado adjunto da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Samir Freire, que coordenou a ação policial que resultou nas prisões dos infratores, o bando foi interceptado na tarde de sexta-feira (25), por volta das 16h, nas proximidades de uma agência bancária localizada na avenida Brasil, primeira etapa do bairro Compensa, zona oeste da capital.

Com os infratores os policiais civis apreenderam quatro escopetas calibre 12, um fuzil 556, 15 munições de calibre 12, 15 munições de 556, um pente de 556 e três coletes à prova de balas. Os veículos utilizados na tentativa de roubo, um carro da montadora Fiat, do tipo van, modelo Ducato, de placas KYT – 4428, além de três motocicletas da marca Honda, modelos CB 300, de placa OAA-9199; Bros, de placa OMX-7689 e CG 150 Titan, de placa UXS-8958, também foram apreendidos ao longo das diligências.

Logo após a intervenção da Polícia Civil, policiais militares que faziam patrulhamento de rotina naquela região onde iria acontecer o roubo, avistaram um veículo abandonado, da montadora Toyota, modelo Etios, usado como táxi, de placas PHH-5841. Durante revista no interior do automóvel, encontraram uma pistola-metralhadora Uzi e outra pistola nove milímetros, além de 20 munições do mesmo calibre, mais três coletes balísticos, balaclavas e uma máscara utilizada em festas a fantasia.

“Essa ação foi planejada com bastante cautela pelos infratores, que fazem parte de uma organização criminosa especializada em roubos. Esses elementos sempre fazem uso de bastante violência com as vítimas, por isso resolvemos antecipar a ação policial, pois a ordem que eles tinham era de matar todos os seguranças do carro-forte. Esse táxi, possivelmente, seria utilizado por eles para empreenderem fuga do local após o roubo que pretendiam cometer”, declarou Freire.

Periculosidade

O delegado adjunto da Derfd ressaltou que o armamento apreendido com os infratores é utilizado por grupos de pronto emprego tático policial. “Esse fuzil 556, por exemplo, atravessa blindagem. Descobrimos, ao longo das investigações, que integrantes dessa organização criminosa chegaram a roubar substâncias entorpecentes de quadrilhas rivais, utilizando esse armamento de grosso calibre”, disse.

Na delegacia, no momento dos procedimentos legais, foi verificado que Paulo Henrique era considerado fugitivo do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) desde o dia 15 de dezembro de 2017, onde ele cumpria pena, em regime semiaberto, por roubo.

 

Flagrante

Elias, Fernando, Johny, Matheus, Paulo, Renato e Rodrigo foram autuados em flagrante por tentativa de roubo majorado e associação criminosa armada. Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio da especializada, os infratores serão levados para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, zona sul de Manaus. Após a Audiência de Custódia, Paulo Henrique será reconduzido ao Compaj.

Associação criminosa

A autoridade policial enfatizou que os infratores são integrantes de uma quadrilha especializada em roubos no Estado. As investigações em torno do grupo foram iniciadas no dia 3 de abril deste ano, logo após integrantes dessa associação criminosa renderem funcionários e pacientes do Hospital Psiquiátrico Eduardo Ribeiro, na zona centro-sul de Manaus, e conseguirem roubar mais de R$ 124 mil de um caixa eletrônico no local.

Samir Freire informou, ainda, que é atribuída à associação criminosa a autoria do homicídio do vigilante Charles Frank Silva, alvejado na cabeça durante tentativa de roubo a uma carga avaliada em R$ 400 mil, de uma empresa de transporte de cargas e patrimônios no bairro Distrito Industrial, zona sul. A vitima tinha 46 anos. O crime aconteceu no dia 20 de abril deste ano.

Publicidade
Publicidade