Publicidade
Manaus
Violência

Órgãos se unem para combater a violência doméstica contra crianças e adolescentes

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) promoveu um ciclo de capacitação de enfrentamento às violências nas escolas da rede pública de Manaus 06/04/2016 às 06:00 - Atualizado em 06/04/2016 às 08:48
Show hum.am.r04
A capitação dos profissionais da educação foi feita por assistentes sociais da Semsa (Antônio Menezes)
Silane Souza Manaus (AM)

De todos os casos de violência doméstica cometidas contra crianças e adolescentes notificados pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), a que tem o maior número de incidência é a violência psicológica, seguida da sexual e física. Das três, a segunda é a que mais preocupa uma vez que traz consequências graves, de acordo com a chefe do Núcleo de Causas Externas da Semsa, Ana Carolina Leão.

“O que mais tem é violência psicológica, mas chamamos a atenção para os dados da violência sexual porque comparar uma criança que sofreu violência psicológica com uma vitima de violência sexual as conseqüências são totalmente diferentes. Essa última foi violentada duas vezes”, ressaltou, evidenciando a necessidade de uma rede de proteção para o enfrentamento dessa violência. “Ninguém consegue combater sozinho”, observou.

Considerando essa questão, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), em parceria com a Semsa, promoveu entre os dias 31 de março e 5 de abril um ciclo de capacitações de enfrentamento às violências nas escolas da rede pública de Manaus. O objetivo da formação é capacitar os profissionais da educação a identificar os diversos tipos de violência e fazer o encaminhamento dos casos aos setores competentes que realizam atendimento a essas vitimas.

“Nós queremos capacitar multiplicadores para notificação de violências, pois, com isso, temos a possibilidade de fazer a prevenção das demais violências que possam vir e também de acolher as vitimas nos serviços especializados. A ideia é que os professores possam verificar nas escolas situação de violências que ainda não foram denunciadas para que a partir da notificação conjunta possamos encaminhar o caso para os demais órgãos”, afirmou a assistente social da Semsa Thalita Neves.

Para a gerente de Programas, Projetos e Atendimento ao Escolar, da Seduc, Adriana Boh, a formação auxiliará positivamente o trabalho de enfrentamento à violência que a secretaria desenvolve nas escolas da rede pública estadual da capital e do interior do Estado, em parceria com o Conselho Tutelar. “A ficha de notificação vai contribuir para a geração dos dados estatísticos e o fortalecimento de políticas públicas de enfrentamento dessas violências”, disse.

Ainda de acordo com ela, o ciclo de formações é uma estratégia da educação e da saúde no enfrentamento das várias expressões de violências que existem atualmente cometidas contra crianças e adolescentes, inclusive a sexual, na qual a cidade de Manaus tem registrado altos índices. “Os professores estão sendo capacitados para ampliar esse olhar porque às vezes não é só a violência física, a agressão, tem diversos tipos de violência que afeta o processo de aprendizagem da criança”, enfatizou.

Em números

98 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes foram registrados esse ano em Manaus. Entre os casos, nove foram contra criança de 1 a 4 anos e 23 contra crianças de 5 a 9 anos.

Interior

A capacitação de enfrentamento às violências nas escolas da rede pública de Manaus foi direcionada a coordenadores psicólogos, assistentes sociais, pedagogos de escolas, coordenadores de educação, além de técnicos da área da saúde. A formação também será ampliada pela Seduc para os profissionais do interior do Estado, mas ainda não há data definida.

Publicidade
Publicidade