Publicidade
Manaus
Manaus

Quarta vítima de chacina na Zona Norte é identificada, mas polícia ainda não tem pistas

De acordo com a A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros, as investigações não param desde que o crime aconteceu, na tarde de sexta-feira (27). Diligências foram até a madrugada deste sábado (28), mas sem muito sucesso 28/02/2015 às 12:05
Show 1
Policiais civis da DEHS foram ao local do crime para investigar o caso
Lívia Anselmo Manaus (AM)

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) ainda não tem pistas que indiquem os autores da chacina no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus, na tarde da última sexta-feira (27). Segundo o delegado Ivo Martins, as investigações continuam e as diligências em busca de provas chegaram a entraram a madrugada de sábado (28). “Nós estamos investigando, ouvindo testemunhas. Não temos nada concreto, só investigação por enquanto”, disse Martins.

A quarta vítima do crime foi  identificada como, Keitiane Nunes Galdino, 26. Ela chegou a ser levada ao Hospital e Pronto-socorro Dr. João Lúcio,  mas não resistiu aos ferimentos. De acordo com o delegado, a presença da vítima no local ainda está sendo investigada. “Nós ainda não sabemos ao certo o que ela estava fazendo e se tinha envolvimento com o tráfico de drogas, como as outras três pessoas tinham”, disse. Em consulta de A CRÍTICA ao site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Keitiane não responde a nenhuma processo. 

Execuções

Ivan Teixeira Pessoa, 35, foi atingido com quatro tiros, enquanto Edinei Sousa dos Santos e Denilson Lobo Rodrigues, ambos com 19 anos, foram alvejados com um tiro na cabeça cada. Os quatro foram encontrados no quintal, algemados.  Segundo testemunhas, o grupo estava na casa de Ivan quando dois homens pularam o muro e disseram ser policiais. Após algemarem as vítimas, os suspeitos efetuaram os disparos e levaram duas pistolas que estavam na casa.  

Ivan foi indiciado no último dia 13 de fevereiro por receptação e tinha processos por furto e tráfico de drogas, enquanto Denilson respondia na Justiça por homicídio qualificado e crime tentado, segundo o site do TJAM.Um jovem de 17 anos, identificada como namorada de Ivan sobreviveu ao se esconder na cozinha da residência. Ela é a principal testemunha para a DEHS.


Publicidade
Publicidade