Terça-feira, 29 de Setembro de 2020
QUEIMADAS

Quase a metade dos incêndios recentes no AM foram em vegetação

De julho até o início de agosto, foram 116 registros de incêndios, sendo que 50 deles aconteceram em áreas de vegetação



QUEIMA_D4E0B6E6-1A5A-42C9-99DD-A218D5546048.jpg (Foto: Chico Batata)
12/08/2020 às 08:41

As ocorrências de focos de queimadas são comuns em períodos de temperaturas elevadas. É durante o chamado verão amazônico, até meados de outubro, que o clima fica mais seco e mais quente o que torna propício para que o fogo em vegetação se alastre mais rapidamente.

De acordo com dados do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), dos 116 incêndios em geral registrados pelo disque emergência 193 no período de 1º de julho até ontem, 50 registros foram de incêndios em vegetação, na capital. O coordenador de comunicação social do CBMAM, major BM Janderson Lopes, explica que a maioria das ocorrências acontece em áreas de lixo.



“Esse número deve-se principalmente à elevada temperatura e a baixa umidade relativa do ar que tem feito com que a vegetação esteja cada vez mais ressecada e propício para que ocorra um princípio de incêndio. Essas ocorrências são comuns nesse período do ano que se compreende ao verão amazônico, nós temos uma necessidade de atuar principalmente nesses focos para evitar que haja uma devastação em uma grande área de vegetação”, destacou.

“Nós temos identificado esses princípios de incêndio principalmente em regiões em que há lixos amontoados. Então, as pessoas juntam uma grande quantidade de lixo no local e muitas das vezes, nós temos incêndios que são gerados naquele local e tomam áreas verdes tendo em vista a situação da vegetação”, afirmou ainda.

Para se ter ideia, o CBMAM atendeu 13 incêndios em vegetação no último final de semana. Conforme o órgão, um dos incêndios em lixo ocorreu na rua Vieira de Brito, bairro Armando Mendes, Zona Leste. Aproximadamente, 500 litros de água foram utilizados para o combate das chamas.

Outra ocorrência de incêndio em vegetação ocorreu na rua João Câmara, bairro Novo Aleixo, Zona Norte. Os bombeiros militares das viaturas Auto Bomba Tanque (ABT – 28) e Apoio Rápido (AR – 48) controlaram as chamas em uma área de 15 mil metros quadrados. Para extinção do incêndio, foram utilizados 6 mil litros de água, abafadores e bombas-costais.

O major BM Janderson Lopes destaca a operação Céu Limpo que iniciou no último dia 29. A atuação, conforme ele, visa o combate às queimadas urbanas, ocorrência mais frequente na região neste período do ano.

“A operação Céu Limpo envolve um incremento de três guarnições com cinco militares para atuar diretamente nos focos de queimadas na capital e região metropolitana. Temos com isso, conseguido atender 10 ocorrências diariamente, esse número varia, mas estamos com uma alta incidência de princípio de incêndio nesse época”. Para o combate às queimadas urbanas, o CBMAM conta com novos equipamentos, na ordem de R$ 120 mil, compostos de motosserras, motopoda, roçadeiras, mochila extintora Vallfirest, motobomba, abafadores de borracha, facões, coturnos, luvas de proteção, máscaras de proteção respiratória, óculos de proteção e ampla visão, capacetes de segurança, dentre outros itens utilizados nesse tipo de ocorrência. Para a atuação do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas, basta a população discar emergência no 193

Dados

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) informou à reportagem que, em razão da pandemia, que dificultou o trabalho de atendimento de denúncias, nos últimos três meses, realizou um levantamento dos bairros da cidade com maior incidência de focos de queimada para dar início a uma força-tarefa, entre os meses de agosto e setembro, considerados de pico do problema, para orientação e atendimento de casos.

Este ano, até o mês de junho, as zonas com maior índice foram a Norte com 32 focos, seguida pela Leste com 16, Oeste (13), Centro-Sul (12), Centro- Oeste (8) e Sul (6) O trabalho da força-tarefa deverá começar pelos os bairros São José Operário, Jorge Teixeira e Coroado, Zonas Leste e bairros Cidade Nova, Colônia Terra Nova e Nova Cidade da zona Norte da capital. As ações deverão contar com o apoio do Exército Brasileiro, por meio da Força-Tarefa Conjunta Integrada General Rodrigo Octávio, do 2o Grupamento de Engenharia, responsável pela Operação Verde Brasil 2, de prevenção e combate às queimadas na Amazônia. O objetivo será o de sensibilizar a população das localidades com orientação sobre os malefícios da queima de resíduos e notificação por parte da fiscalização da Semmas dos denunciados, todos por conta da queima de lixo e folhas nos quintais

RecomendaçõesAs recomendações de órgãos como Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) são para que as pessoas evitem jogar pontas de cigarro ou fósforos acesos em área de vegetação, não atear fogo em resíduos sólidos ou em terrenos com muito mato.

Para realizar denúncias de queimadas urbanas, a Semmas disponibiliza disque-denúncia 0800-092-2000. os telefonee 2123-6715 e 98455-7379 do Ipaam

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.