Publicidade
Manaus
Feira

Quase uma tonelada de pirarucu manejado da reserva Cujubim foi vendida na FUÁ

A iniciativa deu oportunidade aos pescadores de venderem seus produtos fora da reserva 17/10/2016 às 05:00
Show 7878
(Foto: Evandro Seixas)
Luana Carvalho Manaus (AM)

Esta é a primeira vez que Francisco dos Santos Pereira, 30, veio vender pirarucu manejado da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Cujubim (distante 1100 quilômetros da capital) em Manaus. Ontem, ele participou de mais uma edição da Feira Urbana de Alternativas (FUÁ), promovida na Fundação Amazonas Sustentável (FAS), no bairro Parque 10, Zona Centro-Sul de Manaus.

Foi quase uma tonelada de pirarucu salgado comercializado da 9h às 19h. A iniciativa deu oportunidade aos pescadores de venderem seus produtos fora da reserva, conforme conta Francisco. “Eu estou gostando muito porque pelo menos a gente teve para onde escoar nosso pescado. A saída está sendo boa até agora e espero que melhore ainda mais nas próximas edições”, comentou.

Toda a produção teve apoio do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama),  da Operação Amazônia Nativa (Opan) e das secretarias de Estado de Meio Ambiente (Sema) e de Produção Rural Sustentável (Sepror). Para a advogada Luciana Meirelles, 28, é importante saber a origem dos produtos que serão consumidos.

“Gosto desta feira principalmente por saber que estamos comprando peixes manejados, frutas e verduras livres de agrotóxicos, materiais sustentáveis. As pessoas já estão caminhando para esta vertente e fico feliz cada vez que surge uma iniciativa como essa”, frisou Luciana.

A feira também deu oportunidade para a agricultora Davina Barbosa, 31, que participou da FUÀ pela quinta vez. Ela notou uma melhora no público e nas vendas gradativamente.

“Na primeira que participei as vendas foram fracas, até ficamos tristes. Mas a partir da segunda edição vimos um certo interesse do público e conscientização em consumir verduras e frutas livres de agrotóxicos”, revelou a agricultora. Ela mora na Zona Rural do município Rio Preto da Eva, distante 79 quilômetros de Manaus. Na banca, ela vende mandioca, banana, cará e até feijão manteiguinha. “Cultivamos em pouca quantidade, pois não utilizamos produtos para aumentar a produção. É tudo feito com muito amor”, destacou Davina.

Realizada em parceria entre a FAS e Casa

Cinco, a feira tem como principal objetivo fomentar um novo pensamento e estimular a melhoria na qualidade de vida.

Ação baseada em objetivos de desenvolvimento ONU

A Feira Urbana de Alternativas (FUÁ) também contou com ações relacionadas a arte,  rodas de conversa, yoga, brechós, feiras de criatividade e shows musicais, entre outras atrações. Todas  as atividades da FUÁ são baseadas nos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), metas definidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para tornar o mundo mais sustentável e sem desigualdades até 2030.

FUÁ também abriu espaço para artes

Nesta edição, a FUÁ foi em homenagem às crianças. Além dos inúmeros expositores de artes, moda e gastronomia, houve também exposições artísticas de crianças, como a do pequeno Arthur Soares, que pinta quadros abstracionistas desde os 2 anos. Aos cinco anos, ele expôs  pela primeira vez a coleção intitulada de "Arthur nas Nuvens".

Alimentos não-perecíveis, roupas ou brinquedos também foram arrecadados para doação. A campanha Outubro Rosa também teve destaque nesta edição. “É sempre bom ter esse tipo de evento em nossa cidade. Pois além de termos várias alternativas de gastronomia e arte, também é uma opção a mais nos domingos para passear”, comentou o aposentado Hermino Silva, 65.

"A feira vem se posicionando na agenda de Manaus, trazendo um olhar atencioso sobre as pessoas que ajudam a construir a cultura e a arte locais. A FAS se orgulha por abrir suas portas e ajudar nessa redescoberta da vida urbana da cidade, trazendo as pessoas para um diálogo sobre sustentabilidade e a Manaus que queremos", disse uma das organizadoras do evento, Paula Gabriel.

Publicidade
Publicidade