Sábado, 22 de Fevereiro de 2020
CASO ERLON GABRIEL

Quatro dias: família busca informações sobre criança de 2 anos desaparecida

Erlon Gabriel, 2 anos, desapareceu enquanto brincava no pátio da casa onde mora na comunidade União da Vitória. A tia do menino afirma que recebe muitos trotes



menino_071AF4EB-6870-4B89-BD40-F2ECADE59D17.JPG Foto: Reprodução
10/02/2020 às 13:17

Nesta segunda-feira (10) completa quatro dias do desaparecimento de Erlon Gabriel, 2 anos, ocorrido no último dia 6, enquanto brincava no pátio da casa onde mora com a mãe, identificada como Maria das Dores Neves Dias, situada na Rua Sete, comunidade União da Vitória, bairro Tarumã-Açu, Zona Oeste de Manaus. A família acredita que a criança tenha sido vítima de sequestro.

Familiares e amigos do menino realizarão uma manifestação hoje (10), às 16h, na Bola do Produtor, situada na Avenida Autaz Mirim, Zona Leste da capital. O ato é para cobrar celeridade nas investigações, assim como coletar mais informações que possam levar ao paradeiro de Erlon Gabriel.



Segundo a tia paterna do menino desaparecido, Jaine Oliveira, além de pessoas bem intencionadas que fornecem informações e até votos de esperanças, a maiorias das ligações são trotes. “A gente leva ao conhecimento da polícia. Eles já identificaram duas pessoas que fizeram trote”, explicou a mulher. “Estamos desesperados, querendo notícias que sejam verdadeiras”, complementou.

Em aplicativos de mensagem instantânea afirmaram que Erlon Gabriel havia sido encontrado em posse de um homem venezuelano, embora a semelhança física, a criança desaparecida possui uma cicatriz no lado esquerdo do corpo abaixo da região do peito. Essa marca, segundo a tia, é em decorrência de uma cirurgia feita para drenar um líquido que surgiu no pulmão do menino.

Segundo Jaiane, o pai do menino desaparecido, identificado como Elon Lino da Costa Neto, está péssimo com toda essa situação. “Ele está péssimo. Sempre mandou ter cuidado com o menino, vigiá-lo, ficar de olho e não deixar o Gabriel na rua”, declarou a tia do menino.

Foi levado dentro de carro

No último dia 6 de fevereiro, por volta das 10h30, Erlon Gabriel estava trajando uma farda de cor branca e fralda. A mãe do menino, identificada como Maria das Dores Neves Dias, estava na cozinha do imóvel. “O Erlon, segundo a Maria me contou, estava brincando de entrar e sair na casa. E de repente ela (a mãe) sentiu falta dele. E quando foi olhar no pátio, só estava o carrinho dele”, explicou a Jaine.

A Rua Sete, no bairro Tarumã-Açu, onde está o a residência de Erlon Gabriel, é sem saída. Após notar o desaparecimento do filho, Maria Dias, foi até o início da rua à procura de informações com vizinhos. “Foi um menino de 12 anos que contou que um carro preto entrou na rua, no mesmo horário do desaparecimento de Erlon, e subiu em alta velocidade”, pontuou a tia do menino. Desde esse dia não se tem mais informações sobre a localidade da criança. Quem tiver informações que possam levar ao paradeiro do menor, o telefone para contato é (92) 9 9131-8119. 

Polícia investiga o caso

As investigações sobre o desaparecimento de Erlon Gabriel estão a cargo da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca). Em nota, a Polícia Civil informou que a família do menino compareceu até a sede da Depca, no Morada do Sol, Zona Centro-Sul da capital, para registrar a ocorrência, e as investigações correm em sigilo para não atrapalhar o andamento do caso.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.