Publicidade
Manaus
Manaus

Quem deixou para última hora encontrará valor do peixe mais caro a partir desta quarta (1°)

Em alguns casos, aumento nos preços chega a 20%, segundo os próprios feirantes de Manaus, por conta da demanda no período da Semana Santa 01/04/2015 às 10:18
Show 1
Tendas da Sepror são opção para quem quer fugir da alta dos preços nas feiras tradicionais da cidade
Saadya Jezine Manaus (AM)

Quem deixou para comprar o peixe da Semana Santa na última hora pode ter perdido a chance de adquirir o produto por valores mais em conta. Os preços, que até ontem não apresentavam aumento significativo, devem aumentar a partir de hoje nas feiras. Isso porque os feirantes esperam incremento na demanda por parte dos consumidores em face da tradição de evitar carne vermelha na Semana que antecede a Páscoa. A expectativa é que o incremento chegue a 20%.

João de Deus, 58, feirante na Manaus Moderna, ressalta o motivo para a demora no aumento dos preços. “Esse valor permaneceu sem aumento porque a procura ainda estava pequena, mas chega final do mês e a expectativa é aumentar. A partir de quarta-feira o jaraqui por exemplo, pode aumentar R$ 3 e isso vai acontecer com outros peixes também”, destaca.

Devido ao costume cristão, na Semana Santa, a carne vermelha é substituída nas refeições, e o consumo de peixe aumenta nessa época.

Em alguns supermercados de Manaus, o consumidor já começou a sentir o aumento nesse valor. “A gente sempre espera pagar mais caro em supermercado por causa da comodidade mas, mesmo assim, a gente sente a diferença da semana passada para hoje (ontem), por exemplo. O valor do tambaqui aumentou. Mas a gente paga porque é a gasolina que eu pagaria, ou até mais, se fosse me deslocar pra outro lugar”, afirma o aposentado Roberto Santos, 62.

No Centro de Manaus, os comerciantes alertam para o pouco aumento de clientes nesse mesmo período em relação ao ano passado. Segundo João de Deus, “antes da Semana Santa, 100 kg de tambaqui eram vendido por dia, aí durante essa semana, o valor aumentou um pouco, estamos vendendo 150 kg e a previsão é que, até o final da semana, chegue a 300 kg, para chegar pelo menos igual ao ano passado”.

Segundo Eliésio Brasil de Moraes, historiador, 44, o preço estava bom na feira Manaus Moderna. “Não senti aumento, e a qualidade dele também está boa. A única coisa que eu senti foi a diminuição na quantidade dos peixes. Vim no início da semana e tinha muito mais do que hoje”, destaca.

Sempab intensifica fiscalização

A fiscalização em feiras e mercados municipais da Secretaria Municipal de Produção e Abastecimento (Sempab) está sendo intensificada nesse período próximo à Páscoa. Com o apoio do Ibama e da Policia Ambiental, ações estão sendo realizadas a fim de verificar se o pescado está sendo comercializado de forma legal, com toda a procedência. “Nesse período, o consumo aumenta, e como aumenta a demanda, tem que a aumentar a fiscalização também”, destaca Jesiane Azevedo de França, diretora de mercados e feiras da Sempab.

Para ela, alem da fiscalização, é importante que o consumidor exija também a procedência do pescado, porque isso pode inibir a ação de comerciantes ilegais. “A Sempab já fez várias fiscalizações em locais irregulares, alocamos os pescadores que estavam nessa situação, apreendemos embarcações, mas depois de um tempo eles retornam ao local e comercializam novamente. A pessoa que compra peixe nesses lugares sem higiene sabe o que está fazendo, mas mesmo assim compra, e isso acaba fortalecendo a ação deles”, explica a diretora.

Publicidade
Publicidade