Publicidade
Manaus
HOMENAGEM

Quilombo Barranco de São Benedito, na Praça 14, celebra Consciência Negra amanhã (20)

Festa será na segunda maior comunidade quilombola em área urbana do País. Programação inicia às 10h desta terça-feira (20) e é gratuita 19/11/2018 às 07:17 - Atualizado em 19/11/2018 às 11:25
Show quilombo 63338193 c15d 4acb 8091 c15d3aa01bce
Foto: Divulgação
Karol Rocha Manaus (AM)

O Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado amanhã, será marcado por manifestações culturais no País inteiro. A data, que marca discussões que envolvem o racismo, a luta pela igualdade social, religião, resistência e celebração, foi escolhida por ter sido o dia da morte do líder negro Zumbi, que lutou contra a escravidão no Nordeste durante o período colonial.

Em Manaus, a comemoração da Consciência Negra é realizada pelo Quilombo do Barranco de São Benedito, localizado na rua Japurá, no bairro Praça 14 de Janeiro, na Zona Sul de Manaus, com programação extensa das 10h às 23h desta terça. O evento é gratuito e aberto ao público.

O dia inicia com a apresentação da história do quilombo urbano e tradições e durante o almoço será servido uma feijoada. A população pode conferir exposição de fotografias e artesanatos, atrações culturais como capoeira e danças de origem afro, e ainda música com grupos de samba. 

“O quilombo é uma das formas de organização da comunidade negra brasileira como um espaço de liberdade em suas mais variadas divisões de estrutura social. É uma vivência de geração em geração. Nossos antepassados foram trazidos da África, eles morreram  e nos deixaram o legado com a libertação. É o que fazemos hoje: lutando e resistindo”, explicou o vice-presidente do Movimento Orgulho Negro do Estado do Amazonas (Amonam), Cassius da Silva Fonseca, 52. 

O presidente da Amonam faz parte da quinta geração da família de dona Maria Severa, nega alforriada, que chegou à capital em 1890 trazendo consigo histórias de luta e religiosidade.

Ao todo, há 44 famílias reconhecidas como afrodescendentes e descendentes de escravos moradores em Manaus. Vinte e cinco  famílias quilombolas moram no vilarejo que hoje é o segundo quilombo urbano do Brasil a receber a certidão de autodefinição fornecida pela Fundação Cultura Palmares, em 17 de setembro de 2014.

O Quilombo do Barranco de São Benedito também é considerado Patrimônio Cultural Imaterial do Amazonas, título recebido em 2015, pela Assembleia Legislativa do Estado (Aleam). Outras 19 famílias também reconhecidas moram em outros bairros de Manaus.

A tradição acontece todos os anos e significa resistência para os sucessores. “Ainda temos dificuldade de reconhecimento por morarmos em um bairro denominado de classe média alta e, por isso,  há a questão da especulação imobiliária. Com isso, nós lutamos para manter nosso bem cultural e imaterial”, afirmou Cassius.

O dia Nacional da Consciência Negra foi estabelecido pelo projeto Lei n.º 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. No entanto, somente em 2011 a lei foi sancionada (Lei 12.519/2011) pela então  presidente,  Dilma Rousseff.

 

Publicidade
Publicidade