Publicidade
Manaus
PERDA

Raimundo Acioly, ex-delegado geral da PC, é velado na noite desta terça-feira (4)

Acioly morreu após travar batalha contra um câncer. Velório ocorre no auditório da Delegacia Geral da Polícia Civil, no bairro Dom Pedro. Enterro está previsto para as 10h desta quarta-feira (5) no cemitério Parque Tarumã 04/10/2016 às 21:32 - Atualizado em 04/10/2016 às 21:36
Show vel rio
Velório reuniu familiares e autoridades da segurança (Foto: Evandro Seixas)
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Está sendo velado na noite desta terça-feira (4) o ex-delegado geral da Polícia Civil, Raimundo Acioly, 49. Ele morreu durante a manhã de hoje após travar uma luta contra um câncer. Familiares, amigos e autoridades de segurança prestam suas últimas homenagens no auditório da Delegacia Geral da Polícia Civil, no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus.

Acioly chegou a ocupar em 2016 o posto de delegado geral, no entanto, se afastou em maio para cuidar da saúde. Raimundo Acioly tinha em seu currículo 20 anos de Polícia Civil, com passagens pelo 9º DIP e a hoje extinta Delegacia Especializada em Combate às Galeras (DECG). Também foi, de 2011 a 2014, coordenador da Força-Tarefa da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

De acordo com o secretário de segurança pública do Amazonas, Sérgio Fontes, o falecimento de Acioly representa uma perda inestimável para a polícia. “Era um policial vocacionado, um policial exemplar que tivemos a oportunidade de trabalhar juntos quando ele ainda era delegado adjunto. Foi uma luta dura que o doutor Acioly não tinha como ganhá-la, mas mesmo assim lutou bravamente como se espera que um policial faça”.

Atual delegado plantonista do 10º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Fábio Silva trabalhou com Acioly quando ele ainda era coordenador da Força-Tarefa. Ele relembra edições da operação “Malhete” e a apreensão de 10 toneladas de drogas pela Polícia Civil como grandes feitos de Acioly. “Ele sempre priorizou operações no combate ao tráfico de entorpecentes. Era um delegado-geral muito operacional, de colocar a polícia na rua, fazer abordagens e blitz. Assumir um órgão como a Polícia Civil é um estresse muito grande. Talvez isso fez com que a doença se sobressaísse”.

O enterro do ex-delegado geral está marcado para as 10h desta quarta-feira (5), no cemitério Parque Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

Publicidade
Publicidade