Publicidade
Manaus
Manaus

Rapaz diz que matou colega de bar porque ele 'falou mal de Manaus'

'Maranhão' foi agredido com barra ferro na cabeça até morrer em maio deste ano 17/08/2015 às 22:23
Show 1
“Dendê” foi levado para a Cadeia Pública, onde ficará à disposição da Justiça
acritica.com Manaus (AM)

CONFIRA O VÍDEO DA AGRESSÃO FATAL

O delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins, apresentou durante coletiva de imprensa realizada ontem (17), na sede da unidade policial, o frentista Williams dos Santos Barreto, 23, conhecido como “Dendê”.

De acordo com delegado, o rapaz se entregou espontaneamente à polícia na última sexta-feira (14), por volta das 17h, após a equipe da DEHS disponibilizar à imprensa local um vídeo em que Williams aparece atingindo um homem com uma barra de ferro. 

José Benício da Silva, que era chamado de “Maranhão” e tinha 55 anos, foi morto no dia 9 de maio deste ano, em frente a uma loja de conveniência situada na avenida Autaz Mirim, bairro Tancredo Neves, Zona Leste da cidade. “Em depoimento, Williams alegou que agrediu José após ele falar mal de Manaus”, disse Ivo Martins.

No momento em que chegou à sede da DEHS, no bairro Jorge Teixeira, zona Leste, Williams recebeu voz de prisão. Apesar de estar fora do flagrante pelo homicídio de José, foi constatado que havia um mandado de prisão em aberto em nome de Williams, também por homicídio, cometido quando ele tinha 20 anos. O crime aconteceu em 2012 e teve como vítima Antônio Marcos Taveira da Cruz, 33.

“O delito ocorreu na madrugada do dia 22 de outubro de 2012, por volta das 2h30, na Rua 46 do bairro Novo Aleixo, Zona Norte de Manaus. O autônomo Antônio Marcos foi morto a golpes de faca, após brigar com o infrator por conta de ciúmes da mulher. O homem ainda chegou a ser socorrido por populares e levado ao Hospital e Pronto-Socorro Doutor João Lúcio Pereira Machado, na zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local”, declarou o delegado.

Williams foi indiciado por homicídio qualificado e ao término dos procedimentos será levado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoal, onde ficará à disposição da Justiça.

Publicidade
Publicidade