Publicidade
Manaus
Manaus

Recapeamento do Complexo Viário Gilberto Mestrinho traz 'incômodo necessário'

A demora será de 40 dias. É uma tentativa de resolver um problema crucial, que é o engarrafamento constante na rotatória do viaduto. Tudo isso porque ele não tem todos os movimentos necessários para fazer o trânsito fluir 06/08/2015 às 21:24
Show 1
Nos primeiros dias da semana foi realizada a fresagem, procedimento que consiste na retirada do asfalto antigo, o que deixa a pista cheia de restos de asfalto.
Nelson Brilhante Manaus (AM)

Pelo menos por 40 dias, os condutores que circulam pelo Complexo Viário Gilberto Mestrinho, no Coroado, zona Leste, estão convivendo com situação de risco, caso não reduzam a velocidade e redobrem a atenção. O recapeamento da rotatória, iniciado segunda-feira (03), chegou a ser questionado, mas a Prefeitura de Manaus apresentou justificativas técnicas para executar a obra.

Embora o trabalho esteja sendo realizado no período noturno (para não prejudicar maiores complicações no fluxo do trânsito) não tem como se livrar do “incômodo necessário”. Por etapas, o trabalho com maquinário seria feito somente numa das pistas, ficando duas liberadas, mas todas estão cheias de restos de asfalto. Por isso, todo cuidado é pouco.

De acordo com a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) nos primeiros dias da semana foi realizada a fresagem, procedimento que consiste na retirada do asfalto antigo.

O prefeito Artur Neto garante que vai recuperar as calçadas, revisar sarjetas, meio-fios e drenagens de todo o entorno do complexo. É uma tentativa de resolver um problema crucial, que é o engarrafamento constante na rotatória do viaduto. Tudo isso porque ele não tem todos os movimentos necessários para fazer o trânsito fluir. 

“A situação melhora se forem construídos dois retornos e o alargamento de uma das alças para dar o movimento que hoje ele não tem”, explicou o prefeito.

O recapeamento do piso terá dez centímetros de espessura, com duas camadas. Na ação, serão usadas 2.380 toneladas de massa asfáltica para recapear aproximadamente 9.400 m².

Oficial

De acordo com a Seminf, a recuperação asfáltica na chamada Bola do Coroado foi decidida após um estudo detectar deformações no piso.

“Diante disto, a Seminf iniciou uma análise de sondagem para detectar o índice de resistência da base, cujo resultado ficou bem abaixo do normal, apresentando apenas 18% de resistência, enquanto a porcentagem perfeita seria entre 40% a 60%. Depois de compactada será instalada uma capa de Concreto Asfáltico Usinado a Quente (CBUQ), que é um dos tipos de revestimentos asfálticos mais utilizados nas vias urbanas e rodovias brasileiras”, se manifestou a secretaria.

‘Flanelinhas’ e a Zona Azul

O novo sistema de estacionamento rotativo Zona Azul, que será implantado no centro de Manaus, foi o assunto da reunião, ontem entre representantes da Prefeitura de Manaus e da Associação dos Guardadores e Lavadores de Veículos do Amazonas (Aglavam). Os guardadores querem garantir que sejam cadastrados os verdadeiros “flanelinhas” como colaboradores do sistema.

Cadeiras de rodas feitas sob medida

A Policlínica Codajás, da Secretaria Estadual de Saúde (Susam), fez a entrega, ontem, de 14 cadeiras de rodas especiais (feitas sob medida), para crianças com deficiência física e motora.  Algumas das crianças beneficiadas são oriundas de municípios do interior do Estado – como Manacapuru e São Gabriel da Cachoeira.

Parceria em prol dos catadores

Catadores de resíduos recicláveis de Manaus serão beneficiados por meio de uma parceria que será oficializada hoje entre a Prefeitura de Manaus e a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). Na solenidade, será assinado o termo de adesão ao programa “Dê a Mão para o Futuro: Reciclagem, Trabalho e Renda”.

Publicidade
Publicidade