Publicidade
Manaus
Manaus

Recém-inaugurado Mercado Municipal Adolpho Lisboa apresenta goteiras

Permissionários usam lonas de plástico para proteger os boxes de goteiras e das fezes dos pombos, que já ‘invadiram’ o local 30/10/2013 às 17:57
Show 1
Permissionários improvisam a cobertura dos boxes para proteger produtos da água e dos pombos
CAROLINA SILVA Manaus

Há menos de uma semana que o histórico Mercado Municipal Adolpho Lisboa foi reaberto ao público, permissionários e visitantes estão tendo que superar imprevistos. Na manhã dessa terça-feira (29), alguns boxes permaneciam cobertos com lona plástica colocada na tarde de segunda-feira por conta de goteiras. Mas a proteção também é contra pombos que tem procurado o mercadão como abrigo.

Ainda na tarde de segunda-feira (28) permissionários do Pavilhão Central colocaram lona plástica sobre a cobertura telada dos boxes para protegerem as mercadorias da água da chuva, em decorrência de goteiras que surgiram no teto. Apesar do imprevisto, os permissionários não registraram prejuízos.

O boxe de Wilson Colares, 53, que há 20 anos é permissionário do Mercado Municipal Adolpho Lisboa, permanecia coberto com a lona plástica para prevenir contra futuras goteiras. Mas ele disse que também é para proteger de fezes dos pombos que tem procurado se alimentar e se abrigar no mercadão.

Os animais ficam circulando na área externa e também se abrigam na área interna do prédio, sobre as estruturas metálicas da cobertura do Pavilhão Central. A presença dos pombos preocupa os permissionários, que temem a ocorrência de doenças e que o problema afaste os visitantes.

Nas fezes desses animais estão fungos, bactérias e ácaros que podem causar, pelo menos, seis tipos de doenças, apontam infectologistas. Entre as doenças transmitidas por pombos está a histoplasmose, que pode causar problemas pulmonares em seres humanos.

Na manhã dessa terça-feira (29)alguns permissionários ainda buscavam proteger as mercadorias de futuras goteiras e das fezes dos pombos. Com bom humor, o permissionário “Bira”, comentou: “Tem que se prevenir. A mulher quando sai de salto alto se previne levando uma sandália mais baixa”. Ele também avaliou ser melhor cobrir o boxe com lona.

A proteção dos boxes com as lonas acabaram chamando a atenção de visitantes, como a da turista pernambucana Larissa Mafra, 31. “Perguntei de um permissionário o motivo e ele disse que é pra se protegerem dos pombos. Realmente é um risco. Tomara que solucionem logo o problema, mas fora isso, o prédio ficou muito bonito”, falou a visitante.

Nota

Por meio de nota enviada à imprensa, o secretário Municipal do Centro, Rafael Assayag, informou que na tarde da última segunda-feira (28), a construtora responsável pela obra de restauro do Mercado Municipal Adolpho Lisboa foi acionada para promover reparos no teto, em decorrência das goteiras constatadas em pontos isolados do Pavilhão Central. Solicitou ainda, medidas evitar a presença de pombos no mercado.

Segundo o secretário, a obra tem garantia de dois anos e durante este período a construtora vai providenciar todos os reparos necessários, sempre que for convocada.

No momento da chuva, uma equipe de engenheiros da Semc foi ao local vistoriar o prédio e checar se qualquer situação anormal seria detectada. “Alguns permissionários ficaram preocupados, mas as goteiras eram apenas em pontos isolados. As providências já foram tomadas”, assinalou o secretário do Centro.

Contenção de pombos

Sobre os pombos, o subsecretário da Semc, Glauco Francesco, informa que a construtora responsável pelas obras de restauro e requalificação do Mercado Municipal Adolpho Lisboa, foi acionada, logo após a inauguração do Mercadão para apresentar uma solução que evite a entrada de pombos nos pavilhões.

Frisa ainda, que a solução estará adequada as exigência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) para garantir a conservação das características históricas do prédio.

Publicidade
Publicidade