Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
Manaus

Reformas dos terminais ainda em ritmo lento

Obras nos terminais de integração só ficam prontas em 2014



1.jpg As goteiras, os banheiros, e as condições da estrutura física dos terminais tem deixado os passageiros irritados, isso por que mesmo com as obras os usuário continuam sofrendo diariamente
26/11/2013 às 09:03

As obras de reforma dos terminais de integração que tinham previsão para serem entregues em dezembro estão lentas segundo os passageiros e só deverão ser concluídas na segunda quinzena de janeiro. As goteiras, os banheiros, e as condições da estrutura física dos terminais tem deixado os passageiros irritados, isso por que mesmo com as obras os usuário continuam sofrendo diariamente.

No T5 (São José)  que teve a reforma iniciada em julho apenas uma plataforma foi reformada e muito trabalho ainda precisa ser feito, como por exemplo, a troca de uma parte das telhas.

Segundo a vendedora Loiana dos Santos, 31, quando chove os passageiros correm de um lado para o outro procurando um local que molhe menos.Além disso, o congestionamento dentro do terminal tem sido motivo de reclamação.

O despachante de ônibus Arnoldo Pinheiro explica que com o início da reforma os ônibus precisam fazer o retorno na rotatória  do São José para entrar no terminal,  isso de acordo Arnoldo, causa congestionamento dentro do terminal, pois os ônibus precisam aguardar muito tempo para poder embarcar os passageiros. “Se eles entregassem pelo menos a plataforma que está pronta iria facilitar a vida de todos”, acrescentou o despachante.

No T4 (Jorge Teixeira) uma parte da reforma está concluída e segundo os usuários a expectativa que tudo fique pronto é grande.

Para o segurança patrimonial Antonio Pinheiro, 35, apesar da demora o terminal reformado deve melhorar a vida de quem precisa utilizar o transporte público. Ele alerta que as pessoas precisam cuidar do patrimônio, pois as grades de proteção que foram reformadas já estão amassadas e com buracos.

De acordo com Antonio algumas pessoas pulam ou fazem buraco nas grades para conseguir entrar no terminal sem precisar pagar passagem. “Se as pessoas não tomarem cuidado, não vai servir a reforma”, disse Antonio Pinheiro.

Último a ter a reforma iniciada há dois meses o  T3 (Cidade Nova) também está com as obras em ritmo lento. A preocupação de quem utiliza o terminal é com as chuvas que chegaram e podem atrasar muito mais os trabalhos.

Em todos os terminais um problemas é unânime, a falta de segurança tem deixado os usuários preocupados.

Segundo Loiana dos Santos todos os dias pessoas são assaltadas nos terminais, principalmente durante a manhã  e final da tarde. As pessoas que circulam nos terminais dizem que durante o fim de semana o problema piora e os assaltantes chegam com agressividade e usando faca.

Justificativa

O atraso nas obras dos terminais de integração, segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), aconteceu devido à simultaneidade das obras com a circulação de passageiros e vendedores ambulantes.

Intermitente

De acordo com a Seminf  se a desativação dos locais tivesse acontecido de forma completa, as obras de reforma seriam realizadas em tempo hábil, porém como os operários trabalham ao mesmo tempo em que passageiros e camelôs utilizam o terminal, houve o retardo.

 O mais caro

Dos três terminais de integração que passam por obras de reforma, o da Cidade Nova (T3)  é o que apresenta valor mais alto de custo. Ele, praticamente, será totalmente reconstruído pela Semin.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.