Terça-feira, 17 de Setembro de 2019
Manaus

Relógio de ouro do mercado municipal Adolpho Lisboa inspira ‘buchicho’

Os comerciantes querem saber para onde foi levado o relógio de ouro da fachada do mercado



1.jpg Conforme a Semc, não há relógio de ouro e um novo será colocado no Mercadão
27/09/2013 às 08:17

Faltando 27 dias para reinauguração do mercado municipal Adolpho Lisboa um questionamento foi levantado pelos ambulantes que trabalham no entorno do prédio. Os comerciantes querem saber para onde foi levado o relógio de ouro da fachada do mercado.

Segundo a vendedora Vânia Maria Silva, 73, que há 44 anos trabalha na região, o relógio tinha os ponteiros e as bordas em ouro e foi retirado no início da reforma. Ela disse ainda, que o relógio funcionava e era um símbolo histórico do mercado.

De acordo com a Secretaria Municipal do Centro (Semc) o relógio retirado da fachada do mercado durante a reforma não tinha detalhes em ouro e foi guardado pela construtora que está executando a obra.

A assessoria informou que o relógio que estava no local é feito de PVC com os ponteiros de madeira e um maquinário simples, que não está mais funcionando.

Segundo a historiadora Etelvina Garcia os documentos que contam a história do mercado municipal não mencionam o relógio de ouro.

A historiadora explica que o relógio tem um papel fundamental na história do mercado, pois no inicio existia a ‘hora da creolina’ que acontecia as 11h. “Nesse horário a fiscalização passava jogando creolina no mercado para limpar o local”, acrescentou Etelvina.

Para os que estão preocupados com o local do relógio que está vazio a Semc disse um novo deve ser colocado até o final da obra. De acordo com assessoria o novo relógio terá um dispositivo ligado a outro relógio de dentro do prédio que terá uma conexão que não permita a diferença de horário.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.