Publicidade
Manaus
Manaus

Reunião esclarece que escola bem avaliada no Ideb permanece na Zona Sul de Manaus

Professores e pais de alunos da Escola Municipal Lóris Cordovil foram surpreendidos quando souberam que a unidade iria mudar de endereço, por causa de dívidas. Reunião entre Sinteam, pais e professores resolveu a questão e Semed frisou que tudo não passou de suposição 18/12/2014 às 16:00
Show 1
A escola foi uma das três melhores colocadas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em 2013
nelson brilhante Manaus (AM)

Pelo menos durante o ano letivo de 2015, a Escola Municipal Lóris Cordovil, terceira colocada na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), permanecerá na rua Tefé, no bairro Praça 14, Zona Sul de Manaus. Esta foi a promessa da gerente do Distrito 1, Gérnia Pereira dos Santos, numa reunião realizada nesta quinta-feira (18), com pais de alunos, professores e representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam). O encontro era um protesto contra a suposta mudança de prédio, notícia que depois foi desmentida pela Secretaria Municipal de Educação (Semed).

Tudo começou quando uma mãe, ao tentar transferir uma de suas filhas que estudava na Escola Márcio Souza, descobriu que o nome da escola Lóris Cordovil não aparecia na lista de disponíveis em 2015. Daí surgiu a informação de que o proprietário do prédio onde funciona a instituição estaria há quatro meses sem receber o dinheiro do aluguel feito à Prefeitura de Manaus e por isso teria pedido o imóvel. Havia também o comentário de que o atraso seria por pendência na documentação do prédio.

A escola, bastante elogiada pelos pais, desde sua criação já funcionou em cinco prédios diferentes da Zona Sul. “Nossa escola pode não ter estrutura física, mas tem professores de primeira linha, super dedicados. Por isso é a terceira melhor. Não podem fechar uma instituição de qualidade como a nossa”, argumentou o comerciante e pai de aluno Ed Figueiredo, 47.

A assessoria de imprensa da Semed informou que tudo não passou de suposições. Existe a possibilidade de a escola mudar de endereço, mas somente quando for liberado o empréstimo de US$ 1 milhão que a Prefeitura está conseguindo junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), verba que será usada na construção de prédios próprios para as escolas municipais.

Sobre o nome da escola não ter aparecido no sistema, a Semed argumenta que, quando a pessoa acessa a internet procurando vaga numa série que não tem na escola, o nome da instituição não aparece na tela. Em nota, a Semed adiantou que não há pendência financeira com o proprietário, o que teria sido confirmado pelo próprio. O que estaria mudando era a razão social da igreja a qual pertence o prédio.



Publicidade
Publicidade