Publicidade
Manaus
TRANSPORTE

Reforma do Terminal 2, na Cachoeirinha, Zona Centro-Sul, segue a passos lentos

As obras do Terminal de Integração 2 estavam previstas para serem entregues em 120 dias, mas o prazo não foi cumprido. Agora, estima-se que o terminal seja entregue até o fim do primeiro semestre deste ano 04/04/2016 às 04:00 - Atualizado em 04/04/2016 às 08:36
Kelly Melo Manaus (AM)

Dez meses após ter iniciado as obras de reforma, o Terminal de Integração da Cachoeirinha (T2), na Zona Sul, deve ser entregue até o fim do primeiro semestre, conforme informou a Secretaria Municipal de Infraestrura (Seminf). Inicialmente, as obras estavam previstas para serem entregues em 120 dias, mas o prazo não foi cumprido.

De acordo com a Seminf, as obras de revitalização do terminal estão 58% finalizadas, mas quem passa pelo frente tem a sensação de que as obras seguem a passos lentos.

“Essa obra está demorando demais para sair. Não vejo a hora que acabe porque ficou mais difícil pra gente desde que ele foi interditado. Agora temos que pagar duas passagens, dependendo do local que estamos indo”, reclamou a técnica de enfermagem, Tilde Maria dos Santos, 50.

Por outro lado, usuários do transporte coletivo acreditam que a demora vai “valer a pena”, uma vez que a estrutura será melhorada. “As condições aqui estavam muito ruins, caindo aos pedaços. Depois que esse trabalho for concluído, acredito que a vida de tudo mundo vai melhorar bastante”, opinou o aposentado Enoch Lima de Farias, 60.

Todo o perímetro que compreende o T2, na rua Manicoré, está cercado por tapumes. Nas laterais, é possível ver apenas as estruturas de concretos sendo levantadas e dentro, as escavações  no chão para retirar o asfalto defeituoso que havia antes.

Previsão de entrega

A Seminf informou que, até o momento, os trabalhos estão concentrados no serviço de alvenaria das laterais, assim como na construção das lanchonetes e banheiros e destacou que também foram realizados serviços de concretagem dos blocos de coroamento da infraestrutura, trabalhos de armação e concretagem das estacas e preparação de base.

Com 58% das obras, a secretaria também ressaltou que para dar o início às obras de reforma, foi necessário realizar  a retirada da cobertura antiga, instalações provisórias, colocação dos tapumes, demolição total da estrutura de ferro e retirada de todo o antigo material, assim como a fresagem para retirada antigo asfalto da pista, além da retirada dos postes de fiação de baixa tensão. Segundo a pasta, o atraso se deu devido a necessidade de realizar ajustes no projeto inicial e ressaltou que até o fim de junho o T2 será entregue à população.

Passageiros reclamam

Enquanto o terminal não é concluído, paradas provisórias foram construídas na rua Itacoatiara, para facilitar a vida dos usuários do coletivos.   No entanto, a medida não agradou a todos.

“A situação está péssima porque essa estrutura não é boa. Além disso, os ônibus continuam demorando e como não tem mais o terminal, quem não tem o cartão passa fácil, tem que pagar outra passagem no ônibus”, reclamou a vendedora Fátima Gaspar, 48.

Desde o fechamento do T2, as mais de 200 linhas que atendem a região tiveram algumas paradas do itinerário alteradas. Algumas dessas linhas, por exemplo, estão fazendo o embarque e desembarque de passageiros na rua Itacoatiara, nos dois sentidos. Em um dos lados da via, a prefeitura construiu uma estrutura de madeira para abrigar os passageiros.

Na época da mudança, o secretário municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Pedro Carvalho, advertiu aos usuários para que utilizassem os cartões “passa fácil” para facilitar o acesso aos coletivos, e assim, conseguirem utilizar a integração temporal.

Publicidade
Publicidade