Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
COTA

Rio Negro está a 11 centímetros de atingir mesma marca registrada em janeiro de 2012

Em 2012 foi registrada uma cheia histórica na região amazônica; Defesa Civil do AM informou que está orientando as defesas civis municipais para se preparem para uma eventual grande cheia



cota.JPG Foto: Arquivo AC
08/01/2018 às 17:46

O nível do rio Negro em Manaus atingiu a cota de 21,21 metros, nesta segunda-feira (08), ficando apenas 11 centímetros abaixo do volume registrado no mesmo período de 2012, ano da cheia histórica na região. Contudo, para os especialistas, ainda é cedo para prever o tamanho da enchente deste ano. Por enquanto, a cheia na capital e nos municípios do interior está dentro da normalidade.

O secretário-adjunto da Defesa Civil do Amazonas, Hemórgenes Rabelo, disse que o órgão vem monitorando a situação da enchente nas calhas dos rios do Estado e orientando as defesas civis municipais a se prepararem para uma eventual grande cheia. “Tudo vai depender do comportamento das chuvas, mas desde já estamos preparados para qualquer anormalidade”, afirmou.

Conforme Rabelo, no próximo dia 24, haverá uma reunião técnica entre os representantes de diversos órgãos de pesquisa e monitoramento, dentre os quais Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA), para começar o diagnóstico da enchente 2018.

A pesquisadora da Superintendência Regional de Manaus do CPRM, Luna Gripp, reiterou que, por enquanto, ainda não é possível fazer nenhuma previsão de cheia, pois é preciso verificar como o rio vai se comportar nos próximos meses. Ela destacou que o primeiro alerta de cheia será divulgado no fim do mês de março. “Depois em abril e maio, como costuma ocorrer”, enfatizou.

Dentro da normalidade

De acordo com o 1º boletim de acompanhamento do CPRM, de 2018, divulgado na última sexta-feira, a cheia nas calhas monitoradas pelo órgão está dentro da normalidade.  Na bacia do Solimões, o rio segue em processo de enchente com cotas regulares para a época, já nas bacias do Purus, Amazonas e Madeira, os rios estão em processo regular de enchente.

No ano passado, a cheia do rio Negro, em Manaus, atingiu a cota de emergência de 29 metros, no dia 3 de junho. Dois dias depois, deu início a vazante. Em todo o Estado, a cheia de 2017 deixou 39 municípios em situação de emergência, afetando mais de 64 mil famílias.

Chuvas acima do normal

Durante o mês de dezembro, de acordo com o 1º boletim de acompanhamento do CPRM de 2018, houve chuvas acima da normalidade nos estados do Tocantins, Mato Grosso, Rondônia, Acre, sul e oeste do Amazonas e sul do Pará, com precipitações máximas mensais acima de 300 mm.

O prognóstico de precipitação do Center for Ocean-Land-Atmosphere Studies (Cola) para o período de 04 a 12 deste mês indica que os maiores volumes podem ocorrer sobre grande parte do centro e porção sul da região Amazônica. Também são esperadas chuvas significativas nos países vizinhos, a exemplo da Colômbia, Equador, Peru e Bolívia. 

Já no período de 12 a 20 de janeiro, o prognóstico sugere condições semelhantes ao período anterior, inclusive aumentado o volume pluviométrico no centro-oeste do Amazonas e em todo o território do Acre.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.