Publicidade
Manaus
Manaus

Rio Negro sobe 20 centímetros em dois dias após chuvas

Há mais de 40 anos acompanhando o nível do rio Negro, Valderino Pereira confirma que a cheia já começou em Manaus 22/11/2013 às 09:14
Show 1
Para o encarregado do Serviço Hidrográfico do porto, Valderino Pereira, dificilmente haverá repiquete em Manaus
Florêncio Mesquita Manaus, AM

O nível do rio Negro subiu 20 centímetros somente nos últimos dois dias, influenciado pelas fortes chuvas, e confirmou o início do período de enchente. O rio está subindo sem parar há 17 dias consecutivos. Durante o feriado da Consciência Negra, nesta quarta (20), o rio Negro subiu 9 centímetros e atingiu 19,87 metros. Ontem, subiu mais 11 centímetros registrando 19,98 metros.

Para o encarregado do Serviço Hidrográfico do Porto de Manaus, Valderino Pereira da Silva, a confirmação do início do período de cheia é dada com base no aumento ininterrupto do nível do rio registrado nos últimos dias.

Apesar do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) informar que é preciso esperar para ver se o rio Negro, em Manaus, sofrerá repiquete antes de confirmar o período de cheia, Valderino afirmou que, pela experiência de mais de 40 anos acompanhando o rio, possui base suficiente para confirmar o período de enchente.

O repiquete é o fenômeno que ocorre quando as águas dos rios sobem por conta da chuva, no fim do período de vazante, mas volta a baixar pouco depois. Ele pode ser confundido com o início do período de cheia.

Segundo Valderino, o rio Negro começou a encher no dia 5 de novembro e registrou, no acumulado até ontem, uma subida de 63 centímetros, com média de 3,71 centímetros por dia.

De acordo com o gerente de Recursos Hídricos do CPRM, Daniel Oliveira, houve repiquete no Município de Tabatinga, a 1.105 quilômetros de Manaus. Ele explicou que o comportamento do rio Solimões em Tabatinga pode refletir na subida do rio Negro, em Manaus, uma vez que, o Solimões funciona como represa para o Negro.

“Na sexta-feira, o nível do rio Negro, em Manaus, estava em 19,76 metros e tinha subido 4 centímetros. Se ainda vai acontecer o repiquete não é possível afirmar. Vamos ter que esperar mais um tempo. Só em Tabatinga houve o repiquete. Em Manaus o rio começou a subir, mas como sempre acontecem aqui as coisas que acontecem em Tabatinga, temos que esperar”.

Valderino disse que, mesmo com a possibilidade, não acredita que haverá reflexos do repiquete de Tabatinga em Manaus. Ele ressaltou que, geralmente, os reflexos das oscilações do rio Solimões, em Tabatinga, ocorrem na capital depois de 20 a 25 dias. “Quando acontece do rio lá em Tabatinga começar a encher, em 25 dias ele reflete em Manaus. Isso não é científico. É experiência de vida”, destacou.

Ele esclareceu que, quando há repiquete, o rio Negro mantém o mesmo nível durante cinco a seis dias. “Tanto no início quanto no final da vazante o rio é cheio de variação e dificilmente ele apresenta um comportamento que se pode afirmar alguma coisa. Mas nesse caso, ele não parou de subir e nem ficou parado um só dia”, disse.

Publicidade
Publicidade