Quarta-feira, 24 de Julho de 2019
Transporte

Projeto de lei do Governo deve garantir à SNPH controle sobre terminal rodoviário

Nos próximos dias, Governo do Estado deve encaminhar projeto de lei para acrescentar à SNPH a atribuição de responder também pelo terminal rodoviário. Devolvida ao Governo pela Prefeitura de Manaus em 2013, espaço está deteriorado



FIN.AL-R14.JPG Pequenas reformas vão ser feitas para melhorar ambiente de trabalho dos permissionários e empresas que atuam no local. (Antônio Lima)
18/05/2016 às 20:44

O secretário de Estado de Administração e Gestão (Sead), Evandro Melo, afirmou que o governo vai elaborar uma lei para incluir entre as competências da Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias (SNPH), a gestão do Terminal Rodoviário de Manaus. A proposta será encaminhada à Assembleia Legislativa do Estado (Alem) nos próximos dias. 

Evandro Melo descartou, a curto prazo, a construção de uma nova rodoviária devido a falta de recursos e a dificuldade de conseguir investimentos com a crise econômica. No entanto, ele ponderou que é possível realizar melhorias no terminal e ajustar a rodoviária às necessidades da população. “O caminho é diálogo e a nossa ideia é fazer, em um curto espaço de tempo, as reformas necessárias para que o serviço seja oferecido da melhor forma. Queremos que isso seja feito até os jogos olímpicos”, afirmou. 

Desde o início da semana, Evandro Melo, as nove empresas e  os permissionários que atuam no terminal têm se reunido junto com a SNHP, responsável pela administração da rodoviária, e Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) para definirem as prioridades que devem ser observadas nos próximos 60 dias. 

Amanhã, a Seinfra vai apresentar um projeto de pequenas intervenções que visam a criação de duas novas plataformas de embarque e desembarque, troca de lâmpadas e limpeza geral da área.

Dilema

Entre os principais dilemas apontados por quem trabalha no local estão a falta estacionamento, tanto para os servidores quanto para familiares de passageiros, a inutilização das salas que ficam no segundo andar do prédio e reformas pontuais na estrutura do prédio. "A estrutura em si é boa, mas precisamos melhorar para atender os nossos clientes principalmente com a demanda dos jogos olímpicos", destacou o representante dos permissionários, José Loureiro. 

Os empresários também acreditam que com um o estado tendo “retomado as rédeas” da Rodoviária vai ser possível gerar oportunidades e ampliar o serviço que atualmente é oferecido no terminal. “Hoje, a média de passageiros que passam por aqui chega a 3,2 mil pessoas por dia. Mas com a reabertura da BR 319, acreditamos que essa demanda vai dobrar porque será possível abrir rotas para outros locais do país e até para o exterior”, afirmou o presidente do sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento de Manaus (Sifretam), Flávio Cândido. “É um absurdo uma capital como nossa ter uma rodoviária do jeito que está. Até municípios menores como Presidente Figueiredo, Manacapuru e Itacoatiara são melhores”, criticou. 

No transporte interestadual (Manaus-Boa Vista), o fluxo de pessoas chega a  mil pessoas por dia. 

Uso de salas desocupadas

Além de propor reformas pontuais no Terminal Rodoviário de Manaus, principalmente no que diz respeito à manutenção dele, empresários, comerciantes e Estado debateram sobre a reutilização das salas que ficam no segundo andar. 

Até pouco tempo, enquanto a sede da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) ficava no local, as salas eram ocupadas pelos departamentos da SMTU, mas desde que o município deixou o local, as salas estão desocupadas. Uma das alternativas apresentadas foi a criação de um minishopping e a instalação de órgãos como Juizado da Infância e Juventude, agências bancárias ou lotéricas e até mesmo um posto da Polícia Militar. 

A regularização de um estacionamento privado também foi cogitada. “Precisamos fazer com que esse local se torne atraente para a população e otimizar esse espaço. Se uma pessoa paga por um serviço de qualidade, ela sairá daqui satisfeita”, defendeu Flávio Cândido, do Sinfetram. 

De acordo com a ambulante Marli Lopes, 45, que trabalha no local há dois meses, os avanços são importantes no terminal até mesmo para oferecer mais conforto aos usuários, principalmente para os turistas, que geralmente ficam com má impressão. “Os turistas sempre reclamam quando chegam aqui. Por aqui passam pessoas de todas as partes do País e eles sempre reclamam que até em cidades pequenas, as rodoviárias são melhores que a daqui. O governo devia utilizar melhor o espaço e criar um minishopping lá em cima”, sugeriu ela. 

Ao todo, mais de 4 mil pessoas que utilizam os transporte intermunicipal e interestadual passam pela terminal rodoviário diariamente, o que inclui ao menos 15 municípios da região metropolitana diretamente e o estado de Roraima. 

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.