Terça-feira, 18 de Fevereiro de 2020
GREVE DE ÔNIBUS

Rodoviários e empresas não fazem acordo e greve de ônibus está mantida para sexta (7)

O anúncio foi feito pelo presidente do sindicato dos rodoviários após uma audiência entre as partes na sede do Ministério Público do Trabalho



show_2b7beaa9-a8df-4b59-807d-a537e357f15e.jpg Foto: Arquivo A Crítica
05/12/2018 às 13:25

A greve dos rodoviários de Manaus prevista para durar por tempo indeterminado a partir da próxima sexta-feira (7) está mantida, segundo informou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Coletivo Urbano e Rodoviários de Manaus e Região Metropolitana (STTRM), Givancir Oliveira. O anúncio foi feito após uma audiência entre o representante dos trabalhadores e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram), na manhã desta quarta (5), no Ministério Público do Trabalho, na Zona Centro-Sul de Manaus.

“Infelizmente não chegamos em um consenso. A greve está mantida. Vai haver uma reunião hoje no Sinetram e outra amanhã aqui no MPT para ver se a gente chega a um consenso. Nós chegamos a um acordo aqui em julho deste ano que os feriados trabalhados serão pagos de forma dobrada o pagamento integral. A categoria quer o cumprimento desse acordo, a garantia que não vai ser cortado o plano de saúde e o pagamento das férias que estão atrasados”, afirmou Givancir.



Segundo o líder dos rodoviários, parte dos empresários do transporte coletivo da capital não quer cumprir o acordo firmado anteriormente no Ministério Público do Trabalho. “Se não houver bom senso, a gente vai parar sim. Não é do Sinetram, é de quatro empresários que não querem cumprir”, disse.

A paralisação prevista para iniciar na sexta-feira será de 50% da frota em cada uma das quatro empresas que não estão dispostas a um entendimento, segundo Givancir. Ele não revelou quais empresas seriam afetadas.

Plano de saúde compartilhado

Em um documento emitido na última segunda (4) em que anunciou a greve, a categoria dos rodoviários alegou que os trabalhadores aprovaram a greve geral por tempo indeterminado por conta das constantes suspensões do plano de saúde, o que vem causando transtornos tanto para os funcionários e seus dependentes.

A solução proposta pelos empresários para solucionar o impasse não agrada os rodoviários, segundo Givancir. “Eles querem que seja compartilhado, que o funcionário pague o plano de saúde e isso ninguém aceita”, afirmou.

‘Situações pontuais’

“Nós entendemos que não há necessidade nenhuma de greve porque são situações pontuais com algumas empresas. Não há atrasos de pagamentos, há uma discussão em torno de compensação de jornada e plano de saúde em algumas empresas. Então nós vamos voltar a conversar sobre isso”, disse o procurador Fernando Borges, do jurídico do Sinetram.

O representante do Sinetram informou também que o órgão se compromete a pagar o 13° salário da categoria integralmente até o dia 20 de dezembro. O atraso no pagamento das férias é na empresa Global, segundo o procurador Jorsinei Dourado do Nascimento, que mediou a audiência.

“Os demais pontos, como envolviam questões pontuais de determinadas empresas, o Sinetram entendeu que deveria ter os próprios representantes de cada uma das empresas para tocar no assunto. Então nós redesignamos a audiência para amanhã, às 16h. Independente disso, as partes ficaram acordadas de se reunir hoje novamente no Sinetram”, explicou Jorsinei.

ATUALIZAÇÃO

A reunião anunciada para ocorrer ainda na tarde desta quarta-feira (5) entre o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Coletivo Urbano e Rodoviários de Manaus e Região Metropolitana (STTRM) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amazonas (Sinetram) não ocorreu. As assessorias de imprensa dos sindicatos não confirmaram o motivo para o cancelamento do encontro.

A matéria foi atualizada às 17h27.

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.