Publicidade
Manaus
TRÂNSITO

Rodoviários encerram manifestação na av. Constantino e prometem novo bloqueio

Os motoristas do transporte público e especial devem, à tarde, paralisar a av. Brasil, na Compensa, em frente à sede do Governo do Estado 16/08/2017 às 11:07 - Atualizado em 16/08/2017 às 11:28
Show a082ed60 33ab 4905 83ae e77af0d8e9f6
Foto: Aguilar Abecassis
Vinicius Leal e Amanda Guimarães Manaus (AM)

Os rodoviários do transporte público e transporte especial de Manaus encerraram por volta das 10h30 desta quarta-feira (16) a manifestação deles na avenida Constantino Nery, dentro do Terminal de Ônibus 1 (T1). Entretanto, eles prometeram realizar um novo protesto à tarde, desta vez na av. Brasil, na Compensa, Zona Oeste, em frente à sede do Governo do Estado.

Os motoristas pedem solução para os constantes assaltos a ônibus da cidade, tanto convencionais quanto os de transporte de trabalhadores de empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM). Ontem, um motorista de empresa do PIM foi baleado no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste, durante um assalto.

Na manifestação na av. Constantino Nery, eles estacionaram ônibus e micro-ônibus bloqueando a via. Durante o bloqueio, a Faixa Azul foi liberada para todos em ambos os sentidos, bairro/Centro e Centro/bairro. Mais cedo, logo no início da manhã, motoristas do transporte especial fizeram outra manifestação, desta vez na avenida Autaz Mirim, a Grande Circular, no bairro São José, Zona Leste da capital.

“A paralisação durou cerca de 2 horas, mas só aqui no T1. Já liberamos os ônibus, mas podemos fazer outras manifestações. Estamos reivindicando mais segurança para a nossa categoria. São mais de 8 mil usuários assaltados dentro dos ônibus”, disse presidente do Sindicato dos Rodoviários de Manaus, Givancir Oliveira

O motorista da empresa LMC Transportes, Leandro Rodrigues, 35, afirmou que a manifestação continuará na sede do Governo do Estado, na avenida Brasil, Compensa, onde, segundo ele, o vereador Jaildo Oliveira deve se reunir com o governador David Almeida sobre o assunto. “Um colega nosso foi atingido por um tiro na manhã de ontem. Hoje já tivemos outro assalto. É uma forma de chamar a atenção de todos para que possamos ter mais segurança”, disse.

Publicidade
Publicidade