Publicidade
Manaus
FIM

Rodoviários entram em acordo e ônibus voltam a circular neste sábado (22)

A medida vem após os rodoviários paralisarem 100% da frota hoje. Prefeitura de Manaus se comprometeu em pagar o 13° dos rodoviários 21/12/2018 às 21:33 - Atualizado em 21/12/2018 às 22:52
Show  nibus 762534f3 9bce 4499 acdd 331e4698bae7
Foto: Divulgação
Rafael Seixas Manaus (AM)

Rodoviários e empresários do sistema de transporte coletivo entraram em acordo na noite desta sexta-feira (21) após a Prefeitura de Manaus se comprometer em adiantar o 13° salário da categoria. A medida vem após os rodoviários paralisarem 100% da frota hoje. Com o acerto, os ônibus voltam a circular normalmente a partir das 4h de amanhã.

O acordo foi mediado pelo presidente do Tribunal Regional do Trabalho – 11ª Região (TRT 11ª Região), Lairto Veloso, que sugeriu ao prefeito de Manaus, Artur Neto, a medida. O recurso [ainda sem valor definido] será repassado ao Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) que devem pagar 13° dos rodoviários nesta segunda-feira (24) e no final do mês o vale e o salário. O adiantamento repassado pela Prefeitura de Manaus deve ser restituído aos cofres públicos pelo Sinetram, o prazo para a reposição não foi informado. 

Minutos antes da reunião, Artur Neto afirmou que a partir de quarta-feira (26) vai iniciar uma auditoria para fiscalizar o lucro das empresas que atuam no sistema de transporte coletivo na capital.

“Vamos começar uma auditoria muito séria em cima do sistema para termos os números definidos e não os que são repassados pelas empresas. Queremos de qualquer maneira ter os dados do sistema para falar dos números sem falácias”, disse o líder do executivo municipal.

Artur acredita diz ser justo receber o salário, mas que o método adotado pela categoria prejudicou a população. “Eu vejo que há certa Justiça na demanda dos trabalhadores. Eles estão querendo receber o salário, porém não concordo com o método que adotaram. Você sai da garagem, deixa as pessoas e elas não têm como voltar”.

Publicidade
Publicidade