Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
Manaus

Rodoviários fazem paralisação curta na manhã desta quarta (22) em Manaus

Por cerca de duas horas, funcionários da empresa de ônibus Global pararam as atividades, motivados por atraso no pagamento da segunda parcela do salário



1.jpg Paralisação não teve apoio do sindicato, segundo Sinetram
22/07/2015 às 12:36

Cerca de 150 mil pessoas usuárias do transporte público coletivo ficou prejudicada na manhã desta quarta-feira (22) em Manaus por conta de uma curta paralisação dos rodoviários. Por cerca de duas horas, funcionários da empresa de ônibus Global Green pararam as atividades, mas logo desistiram da greve e voltaram a trabalhar.

Das 4h às 6h30, os ônibus da Global Green não saíram da garagem, localizada na rotatória do São José, no bairro São José I. O número de 150 mil usuários do transporte afetados foi estimado pelo advogado do Sindicato das Empresas de Transporte de Manaus (Sinetram), Fernando Borges.

Conforme Borges, a paralisação dos rodoviários da Global teria sido promovida por um grupo de trabalhadores que faz oposição à atual presidência do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM), ocupada por Givancir Oliveira. A greve curta na Global Green não teve apoio do STTRM.

Segundo Borges, a parada dos rodoviários da Global seria motivada pelo atraso no pagamento da segunda parcela do salário dos trabalhadores, que deveria ser paga pelas empresas na segunda-feira, dia 20. De acordo com o advogado do Sinetram, o pagamento do dinheiro já foi efetuado logo na manhã desta quarta (22).

Outra causa para a paralisação dos rodoviários seria uma disputa interna entre eles pela presidência do STTRM. “Essa manifestação foi feita por uma oposição (do sindicato) naquela empresa. Pensamos ser por motivo eleitoral”, disse Borges. A presidência do STTRM é ocupada há anos pelos irmãos Oliveira, onde Givancir, Josildo e Jaildo se revezam no cargo.

A reportagem tentou contato por telefone com a presidência do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM), Givancir Oliveira, mas sem sucesso. 

Agressão física

No último dia 10 de julho, sexta-feira, um grupo de rodoviários que fazia uma manifestação pacífica em prol da classe de trabalhadores, e contrária à atual presidência do STTRM, foi agredido fisicamente por um grupo de homens também rodoviários e ligados à Givancir Oliveira, presidente do sindicato. A briga entre eles foi parar na polícia.

Vias judiciais

O STTRM e o Sinetram já vêm realizando diversas audiências junto à Justiça do Trabalho para tentar dar solução às reivindicações dos trabalhadores com as empresas de ônibus. “Estamos tomando providência judicialmente. Tem que ser apurado quem promoveu essa greve de hoje”, disse Borges.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.