Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019
ATIVIDADES

Rodoviários paralisam em três terminais nas zonas Sul, Oeste e Centro-Oeste

O Sinetram informou que 20 mil pessoas foram prejudicadas nos bairros Petrópolis e da Paz, além do conjunto Augusto Montenegro. A paralisação durou cerca de 2h



lucas_sinetram.JPG A paralisação durou cerca de 2h (Foto: Divulgação/Sinetram)

Funcionários da empresa de ônibus Via Verde paralisaram as atividades em três terminais na manhã desta quinta-feira (13), em Manaus. Segundo o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Manaus (Sinetram), ao todo foram cerca de 80 carros parados em 13 linhas. Cerca de 20 mil pessoas foram prejudicadas.

A paralisação durou em média 2h. De acordo com os motoristas e cobradores da empresa, a falta de comprometimento da instituição com o pagamento das horas extras e feriados foi o motivo das atividades.



“Estamos desde o ano passado sem receber nenhum centavo das horas extras trabalhadas, como também nenhum pagamento dos feriados trabalhados. Como a empresa não se posiciona, resolvemos paralisar o serviço nesse período como meio de protesto, pois queremos o dinheiro que é de nosso direito”, comentou um motorista que preferiu não se identificar.

Conforme os manifestantes, o movimento teve apoio da direção do Sindicato dos Rodoviários. “Os carros só voltaram a circular após a própria diretoria da Via Verde ter convidado os representantes sindicais para um diálogo, só depois que vamos saber o que será feito”, informou o motorista.

O Sinetram informou que os terminais afetados ficam localizados nos bairros Petrópolis, Zona Sul, no conjunto Augusto Montenegro, na Zona Oeste, e Bairro da Paz, na Zona Centro-Oeste. 

A reportagem entrou em contato com o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM), mas nenhuma das ligações foram atendidas.

Sem notificação

De acordo com o assessor jurídico do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), Fernando Borges, o órgão não foi notificado sobre a paralisação.
“Mais uma vez a população foi surpreendida com paralisações irregulares. Não fomos notificados e desconhecemos o motivo do movimento paredista. Vamos informar a justiça sobre a situação para que as providências sejam tomadas. A empresa está honrando todos os compromissos com os colaboradores”, explica Borges.
 
Ainda de acordo com o assessor jurídico, existe uma liminar que proíbe greves, sob pena de multa de R$ 100 mil por hora e configuração de crime de desobediência. Além disso, a categoria tem a segunda melhor remuneração do Brasil. Atualmente o salário do motorista é de R$ 3.078, 43.
 
No último dia 26 de maio, representantes Sindicato dos Rodoviários se comprometeram junto com a Prefeitura de Manaus em não realizar mais paralisações e que qualquer assunto sobre o sistema seria submetido à Justiça.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.