Publicidade
Manaus
RODOVIÁRIOS

Rodoviários prometem greve geral ou até ‘catraca livre’ caso haja atraso de salários

Um dia após a paralisação no Centro de Manaus, o presidente do sindicato da categoria afirmou que os trabalhadores não irão tolerar mais nenhum dia de atraso salarial 13/07/2018 às 11:22 - Atualizado em 13/07/2018 às 11:31
Show ok
Foto: Euzivaldo Queiroz
Álik Menezes Manaus (AM)

Um dia após a paralisação dos rodoviários no Centro de Manaus, o presidente do sindicato da categoria, Givancir Oliveira, afirmou que os trabalhadores não irão tolerar mais nenhum dia de atraso salarial e que, na próxima semana, pode haver uma greve com paralisação total da frota ou até mesmo “catraca livre”

“A partir do dia 20 estamos notificando aqui as empresas e a prefeitura que a partir do próximo pagamento é tolerância zero. Ele (prefeito de Manaus Arthur Neto) tem que tomar rédea do transporte coletivo, os empresários estão sem comando, o transporte coletivo hoje está sob o comando de uma SMTU (Superintendência Municipal de Transportes Urbanos) totalmente inoperante”, afirmou Givancir, em coletiva de imprensa na manhã desta sexta (13) na sede do Sindicato dos Trabalhadores de Transporte Rodoviário de Manaus (STTRM).

Givancir afirmou, ainda, que o acordo feito com os envolvidos junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT) não está sendo cumprido. Segundo ele, os pagamentos estão sendo feitos com até 20 dias de atraso, horas extras não estão sendo pagas, INSS não está sendo recolhido, FGTS não está sendo depositado, férias também não estão sendo pagas e algumas empresas estão até sem pagar o almoço dos funcionários.

Diante dos fatos, o presidente do sindicato dos rodoviários afirmou que a partir do próximo primeiro dia de atraso agirá com “tolerância zero”, e, na próxima semana, pode haver greve com paralisação de 100% da frota. Ele, inclusive, disse que pretende informar a Justiça sobre a possibilidade de “catraca liberada”.

Publicidade
Publicidade