Publicidade
Manaus
Manaus

Rodoviários prometem paralisar a frota caso Sinetram não retome negociações em 72 horas

Caso contrário, prometem paralisar 70% da frota e deixar os outros 30% restantes funcionando com 'catraca livre', onde não há pagamento da passagem 05/03/2013 às 18:11
Show 1
Sindicato dos Rodoviários
Ana Carolina Barbosa Manaus

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Amazonas estipulou um prazo de 72 horas, a contar do dia 06 de março (quarta-feira), para que o Sindicato das Empresas de Transporte de Manaus (Sinetram) retome as negociações para a nova data-base da categoria. Caso contrário, deflagrará greve com 70% dos ônibus nas garagens da capital e o restante com ‘catraca livre’.

A informação é do presidente da Comissão de Greve do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira. A decisão foi tomada em assembleia ocorrida na tarde desta terça-feira. Entre janeiro e março a entidade já anunciou dois indicativos de greve, os quais foram derrubados após a intervenção do executivo municipal.

Conforme Givancir, após a convenção coletiva, ocorrida há duas semanas, o Sinetram se recusou a negociar com os trabalhadores. Eles pedem 8% de reajuste, R$ 5 de café da manhã, R$ 10 de tiket alimentação ao dia e R$ 200 de cesta básica.

Ele informou que notificará não só o Sinetran, amanhã, mas também a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) e a Prefeitura de Manaus sobre a possível greve.

O assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, informou que a entidade ainda não foi notificada oficialmente e, assim que for, se mostrará aberta ao diálogo. De acordo com ele, o Sindicato espera que seja elaborada uma pauta em assembleia com as reivindicações dos rodoviários. Assim que os empresários tiverem acesso a tal documento, informou o assessor, a proposta será submetida à análise. 


Publicidade
Publicidade