Publicidade
Manaus
Manaus

Rodoviários voltam às atividades a partir das 17h desta quinta-feira

O acordo foi firmado após reunião entre o prefeito Artur Neto e os empresários da empresa de transportes 15/08/2013 às 12:33
Show 1
A categoria reivindicava o pagamento do FGTS e do subsídio do Governo do Estado e da gestão municipal. Prefeitura, rodoviários e empresa entraram em um acordo
acritica.com Manaus, AM

Rodoviários da Global Green têm até as 17h desta quinta-feira (15) para voltarem às atividades e colocarem a frota para rodar em Manaus. A decisão saiu após uma reunião com o prefeito Artur Virgílio Neto e representantes da empresa no Palácio Rio Branco, localizado no Centro da cidade.

Aproximadamente 300 ônibus não saíram da garagem nesta manhã, prejudicando o transporte da população, principalmente da Zona Leste onde a empresa de transporte atua.

A categoria reivindicava o pagamento do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e do subsídio oferecido de R$ 1 milhão do Governo do Estado e mais R$ 750 mil da gestão municipal para o pagamento dos benefícios. Os rodoviários prometeram que a frota só retornaria às ruas, após ser feito um acordo entre a classe, o prefeito e os representantes da empresa, que saiu no fim da manhã.


De acordo com Artur Neto, a paralisação foi ilegal e garantiu que não vai negociar com o Sindicato dos Rodoviários do Amazonas. “Não vamos mais aceitar essas paralisações que só prejudicam a população. Também não iremos mais negociar com o sindicato que age de forma ilegal e arbitrária. Vamos pedir o auxílio da polícia para impedir novas greves, porque democracia não se faz quando você quer e sim quando você faz aquilo que pode, sem prejudicar o outro”, declarou. Veja galeria de imagens aqui.

No acordo feito entre as partes, a empresa ficou de realizar o pagamento da primeira parcela do FGTS com o subsídio repassado pelos órgãos e o restante do dinheiro será depositado em uma conta do Banco do Brasil. Ainda segundo o prefeito, a medida servirá para garantir o pagamento do benefício e evitar novas paralisações. “Assim os rodoviários terão certeza que não haverá desvio do dinheiro e, principalmente, que receberão as próximas parcelas do FGTS”, finalizou o Neto.

#Colaborou o repórter Florêncio Mesquita

* Leia mais na edição impressa do jornal A Crítica desta sexta-feira (16)

Publicidade
Publicidade