Publicidade
Manaus
Manaus

Rompimento de adutoras causa impasse entre representantes da AM Energia e Manaus Ambiental

Dilema sobre desfalques de água e rompimentos de adutoras ficam sob questão após sabatina com vereadores da Câmara Municipal de Manaus (CMM) 05/04/2013 às 08:32
Show 1
Representantes da AM Energia e da Manaus Ambiental foram ouvidos por vereadores da CMM nesta quinta-feira (04)
GABRIELE BESSA e Carolina Silva Manaus

Uma reunião foi realizada na manhã desta quinta-feira (04), por líderes da Câmara Municipal de Manaus (CMM) com o presidente da Manaus Ambiental, Alexandre Biachini, e o Diretor de Geração, Transmissão e Operação da Amazonas Energia, Tarcísio Rosa, para esclarecer possíveis causas no desfalque de água aos moradores da cidade, tendo em vista rompimentos de adutoras.

Segundo Alexandre Biachini, presidente da Manaus Ambiental, o rompimento de uma das adutoras foi provocado por uma queda de energia e ações de forma preventiva serão realizadas para que eventos como esses não ocorram mais.

Ainda segundo Biachini, a estação de bombeamento em plena carga ocorre uma queda de tensão que provoca o desligamento da bomba e com certeza houve uma subpressão causando o rompimento. Alexandre enfatiza a preocupação dos rompimentos sequentes na cidade em apenas três meses, sendo que antigamente, o evento acontecia pelo menos três vezes por anos, referindo-se ao rompimento da adutora na avenida Coronel Teixeira, no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus, próximo ao Porão do Alemão.

Contrapartida, o diretor da Amazonas Energia, Tarcísio Rosa, rebateu as acusações da Manaus Ambiental, afirmando que não existe nenhum sistema elétrico que não possa sofrer oscilação de energia, em nenhum lugar do mundo. Ele afirmou que a hidrelétrica não vai admitir que o desligamento de energia seja motivo de rompimentos. Tarcísio comparou os quatro blecautes que ocorreram ano passado, para confirmar suas teorias sobres os motivos de rompimento de adutoras.

Publicidade
Publicidade