Publicidade
Manaus
Manaus

Rua da Zona Leste de Manaus vira ‘inferno’ ao concentrar mais de 100 pontos comerciais

Via com mais de uma centena de distribuidoras comerciais não tem estrutura para estacionamento de nenhum tipo de veículos, e a população sofre 29/08/2015 às 18:44
Show 1
Comerciante sugere mudança na estrutura das ruas para a melhoria no flixo e estacionamento de veículos
Nelson Brilhante Manaus (AM)

O comerciante José Eudázio, 53, tem a convicção de que o problema de falta de estacionamento nos centros comerciais da Zona Leste só tende a aumentar, se a administração municipal não mudar a estrutura das ruas. Ele faz referência especificamente à rua Brigadeiro Hilário Gurjão (rua do Fuxico).

“Essa rua é de duas pistas com mãos diferentes. Aí, vira um inferno. Pra melhorar, teria que ser mão única. Temos mais de 100 comércios grandes, de vendas a atacado, e isso gera um movimento louco, todos os dias. Acabam, compradores e vendedores, todos sendo  prejudicados porque não têm onde estacionar para receber ou entregar mercadoria”, revela o comerciante.

Na sua concepção, toda loja tem o direito de ter espaço para receber e entregar mercadorias, desde que essas práticas sejam realizadas de forma racional e controlada. “Infelizmente, desde o começo é assim e acho que nunca vai mudar”, radicaliza o comerciante.

Alternativa

O gerente de uma distribuidora na rua do Fuxico, Edno Ferreira dos Santos, 38, reforça a oponião dos demais, de que o maior problema da área é estacionamento.

“Na minha opinião, o poder público, ou algum empresário do ramo, deveria criar um estacionamento grande, pra evitar esse caos. A Prefeitura deveria desapropriar uma área para estacionamento como tem atrás da Feira da Banana, na Manaus Moderna (Centro de Manaus)”, sugere o empresário.

Segundo ele, não há dúvidas de que o uso dos cones é a única alternativa para garantir a “sobrevivência” das distribuidoras de mercadorias que operam naquela região.

“Só tem condições de estacionar em fila dupla. Vira um inferno. E ainda tem perseguição por parte das autoridades. A gente perde cliente por causa disso. Tá certo que escolhemos vir para cá, mas, se temos que pagar todos os impostos, a Prefeitura deveria ajudar. Eu, mesmo, já fui multado manobrando meu carro aqui”, revela o gerente comercial.

Liberação suspeita

Condutores de veículos criticam o uso de cones para reservar espaços, por membros da  Associação de Fretes da Zona Leste. A direção da associação afirma que são liberados pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), mas a entidade não confirma a informação.

Publicidade
Publicidade