Publicidade
Manaus
Manaus

Ruas de Manaus seguem com resquícios da Copa e das eleições

De plástico e extremamente inflamáveis, cartazes de candidatos políticos e bandeiras do Brasil permanecem próximo da rede elétrica e, além de poluição visual, trazem riscos à população 25/11/2014 às 09:29
Show 1
Bandeirinhas da Copa e propagandas políticas ainda ‘enfeitam’ as ruas de Manaus
VINICIUS LEAL Manaus (AM)

Mesmo passados cinco meses após a Copa do Mundo, e há quase um mês depois das eleições, ainda é possível ver por ruas e fachadas de casas em Manaus “resquícios” desses dois eventos ocorridos este ano. Cartazes de candidatos políticos e as famosas bandeiras da Copa ainda permanecem “pregados” por aí e, além de se tornarem poluição visual, podem trazer riscos à população.

Nas cores verde e amarelo, as bandeirinhas que antes representavam o amor do torcedor brasileiro pela seleção “canarinho”, e que até então decoravam “de cima abaixo” ruas em Manaus, agora são grandes vilãs para o sistema de energia elétrica. Postes de iluminação, transformadores, distribuidores e a própria rede de fios estão em perigo, já que o material, feito de plástico, é extremamente inflamável.

Os banners das propagandas eleitorais, que ilustravam com rostos e informavam os números dos candidatos políticos, propiciam também os mesmos danos. A maioria composta de madeira e plástico inflamável, os cartazes ainda estão “suspensos” no ar perto dos postes e fios de energia, contribuindo assim para a ocorrência de curto-circuitos e incêndios.

Tanto as bandeirinhas quanto o material de campanha podem aumentar os prejuízos causados por esses incidentes, como a destruição da rede e até a interrupção no fornecimento de energia elétrica. Eles ainda diminuem o fator isolante da rede elétrica por agir como uma “segunda capa” sobre a fiação. Mas de quem é a responsabilidade sobre tudo isso?


“Eles mesmos deveriam tirar. As pessoas só sabem colocar e não tiram. No dia do último jogo (da Copa), eles começaram a puxar tudo. O que restou foi isso aí”, contou a dona de casa Jacineide Silva, 63, moradora da rua 6 do bairro Alvorada 1. “As crianças também jogaram tudo no meio da rua depois, mas ainda bem que o caminhão de lixo levou”, disse.

Bom exemplo

Também no bairro Alvorada, a famosa rua 3, ilustre na competição pelo título de rua mais bonita e mais bem enfeitada da Copa em Manaus, os residentes dela organizaram uma força tarefa para “limpar” a via após o fim do Mundial. “Aqui todos participaram: amarraram, outros cortavam bandeiras ou pintavam a rua. E fizemos a mesma coisa para tirar”, disse o industriário Erivelton Vieira, 33.

Segundo ele, os enfeites da Copa na rua 3 foram retirados no mês de outubro, e tudo foi feito de forma “correta”. “Não amarramos as bandeiras nos postes ou fios, amarramos em cabos de aço suspensos. Na hora de tirar, fazíamos por parte: arreávamos os cabos e íamos cortando com faca ou tesoura as linhas de náilon com as bandeirinhas. Tiramos aos poucos, durando uma semana”.


Na também famosa “rua da Copa” do bairro Vila da Prata, Zona Oeste, a rua Santa Isabel, os moradores também fizeram o serviço “direirinho”. “A gente não amarrou nos postes. Fizemos uma armadura independente e fixa no chão das calçadas, feita de arame, barra de ferro e estaca, e amarramos as linhas neles. Quando foi para tirar, a gente só cortou com alicate os fios na armadura, e usando um andaime”, disse o estudante Isac Sharlon, 22.

Problema

Entretanto, a maioria dos populares em Manaus não fez a retirada correta da decoração da Copa, e o que era “belo” se tornou um “horror”. “Domingo passado teve um curto-circuito aí na frente. Já deviam ter tirado. Os próprios caminhões passavam e rasgavam as bandeiras. E com a chuva e o sol, elas vão esticando e caindo”, relatou a comerciante Márcia Araújo, 25, que tem um restaurante naquela via.

Em outra famosa rua da Copa, a Santa Isabel do bairro Praça 14, a maior parte da decoração já foi retirada. Porém, alguns moradores reclamaram da maneira como o material foi colocado e retirado. “Eles cortaram até a minha árvore para colocar esses papéis velhos, e agora está esse entulho. Depois eles botaram uma escada e fizeram com talho de ‘gilete’. Quase causa acidente”, contou o portuário Mário Jorge, 58.

Campanha eleitoral

Os banners e cartazes usados no 2º turno das campanhas eleitorais, que ainda poluem as ruas de Manaus, devem ser retirados até hoje, 25 de dezembro, conforme a Resolução 23.404/2014, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A retirada desses materiais é de responsabilidade dos candidatos, partidos ou coligações, e caso o bem em que a propaganda foi fixada tiver sido danificado, o local deverá ser restaurado.

O descumprimento da regra pode acarretar na aplicação de legislações variadas, como as leis de posturas municipais sobre uso do espaço e o bem-estar público do município, bem como normas ambientais e até de direito administrativo. Quem quiser denunciar a permanência irregular dessas propagandas pode ligar para os números (92) 3664-2774 (Disque Eleitor) e 3611-4566 (Ouvidoria do TRE-AM).

Números

A assessoria de imprensa do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) não respondeu a solicitação da reportagem sobre qual é a quantidade de material de propaganda eleitoral apreendido até agora e quem é responsável por fiscalizar a retirada desses materiais após o fim do prazo.

A assessoria da Eletrobras Amazonas Energia também não respondeu a reportagem sobre qual é a quantidade de ocorrências atendidas por funcionários da concessionária esse ano que foram causadas pela permanência irregular de propagandas eleitorais e enfeites da Copa. 

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

Publicidade
Publicidade