Publicidade
Manaus
Manaus

Rumo à água: Calor ‘expulsa’ manauara de casa e o obriga a buscar refúgios em balneários

Temperaturas elevadas  lotam balneários ao longo das rodovias que beiram a capital amazonense de gente em busca de refúgio contra o estresse e, princiapalmente, o calor 27/09/2015 às 20:48
Show 1
Em alguns balneários localizados ao longo das rodovias AM-010 e BR-174, os proprietários registraram aumento de até 100% no movimento de frequentadores
Silane Souza Manaus (AM)

O amazonense é acostumado com o forte calor, mas as temperaturas registradas este ano, em Manaus, foram as mais altas em 90 anos. O que tem feito milhares de pessoas aguardarem, ansiosamente, o final de semana, quando deixam a capital para buscar algum “refresco” em balneários localizados ao longo da rodovia BR-174 (Manaus-Boa Vista). A demanda é tão grande que os motoristas enfrentam, durante quase todo o domingo, um engarrafamento próximo à barreira policial, que dá acesso às rodovias BR-174 e AM-010.

Os banhos começam a partir do quilômetro 11, onde há três balneários: Cachoeira Top 10, Barbados Beer e Souza Lima. No km 17 tem o Restaurante e Balneário Baré e, no, 19 os balneários Santur e Águas Frias. Geralmente eles ficam abertos de 8h30 às 17h, de quinta a segunda-feira. A CRÍTICA percorreu ontem esses locais e constatou que a procura por esses espaços cresceu mais de 100% neste mês, em comparação com os dois meses anteriores.

“Se antes recebíamos em torno de 106 carros nos finais de semana, hoje recebemos mais de 200. Temos 20 funcionários e às vezes não damos conta por causa da demanda. A procura é muito grande mesmo”, declarou um dos administradores do Barbados Beer, Anderson Serrão. De acordo com ele, o espaço de lazer recebe em média 700 pessoas por final de semana.


O grande movimento tem deixado ele e o sócio satisfeitos com a escolha de tomarem conta do balneário, visto que, no início do ano, quando assumiram a administração do local, a movimentação de pessoas era muito fraca. “O banho em si tem mais de 10 anos, mas nós estamos desde fevereiro. Neste mês, tinha domingo que a gente nem abria porque não dava ninguém, mas agora veio a recompensa. E que recompensa”, apontou.

O Restaurante e Balneário Baré, antigo banho do Português,  foi inaugurado no último dia 26. A expectativa, de acordo com sócia-proprietária, Marcela Moraes, é que o espaço atraia muitos visitantes, principalmente nesse período do ano, que é muito quente, e as pessoas buscam lugares próximos de Manaus para passar o dia. “Estamos esperando uma boa movimentação”, disse.

No balneário Santur, a procura é tanta que, antes das 12h, o local fechou por atingir a capacidade máxima. “Antes lotava a partir de 14h, hoje 11h30 já não entra mais ninguém por conta da lotação”, revelou Assunção Oliveira, gerente do local, que conta com estacionamento para 150 carros, restaurante e uma loja que vende roupas de banho.

Aproveitar a folga para se refrescar

Quem procura os balneários da BR-174 afirma que o faz para fugir do estresse do dia a dia e, principalmente, do calor. “Passamos a semana trabalhando, quando temos um dia de folga temos que aproveitar, e claro, num lugar onde podemos minimizar esse forte calor”, relatou o motorista André Silva, 27.


A vendedora Cristina Carbajal, 30, também foi ao balneário para fugir do calor. Ela levou a filha de três anos, o esposo, o pai e a mãe junto. “Conhecemos há bastante tempo o Santur, a água aqui é bem geladinha. Nesse calor não dá para ficar em casa”.

A dona de casa Poliana Dias Gonçalves, 31, disse que sempre que tem oportunidade vai para um banho com a família. Ontem ela e o esposo levaram os três filhos para o balneário Barbados Beer. “A gente vem para fugir do calor e tirar o estresse da semana. Vamos sair daqui só quando estivermos bem descansados”, comentou.

Pau Rosa

Além dos balneários entre os kms 11 e 19 da BR-174, outro  bastante procurado é o do Pau Rosa. O banho fica localizado no Sítio Santa Rita, quilômetro 8 do ramal do Pau Rosa, entrada pelo km 21 da BR-174.

No local há um igarapé, onde dá para praticar até Stand Up Paddle (Sup). O local também tem restaurante. A entrada custa R$ 3 (pedestre) e R$ 15 (carro). “Temos observado um grande aumento de visitantes. Ontem (sábado) o último carro saiu por volta de 19h. No domingo anterior recebemos mais de 300 pessoas”, disse o administrador Tadeu Lima.



Publicidade
Publicidade