Publicidade
Manaus
violência sexual

Bairros da Zona Norte fazem caminhada pelo fim da violência contra crianças em Manaus

Conselho Tutelar da Zona Norte se alia às escolas para pedir mais segurança para os jovens da região 18/06/2016 às 09:30
Show caminhada
Quase mil pessoas participaram da caminhada no bairro Amazonino Mendes, conforme a organização (Evandro Seixas)
Silane Souza Manaus (AM)

Ao menos seis caminhadas pelo fim da violência contra crianças e adolescentes serão realizadas em bairros da Zona Norte. A primeira ocorreu ontem pela manhã no Amazonino Mendes. O objetivo das ações é alertar os órgãos de segurança sobre o alto índice de violência infanto-juvenil naquela área e sensibilizar a sociedade em geral para a importância de denunciar os casos pelo Disque 100. 

As caminhadas serão promovidas pelo Conselho Tutelar da Zona Norte em parceria com escolas da rede municipal e estadual de ensino. Além do bairro Amazonino Mendes, os atos serão realizados nos conjuntos Viver Melhor I (Santa Etelvina) e Cidadão I (Canaranas) e nos bairros Cidade Nova, Terra Nova e Nova Cidade. As datas de ocorrências das manifestações estão sendo definidas. 

De acordo com a conselheira tutelar Fabíola Reis, as caminhadas visam sensibilizar e proteger a criança e o adolescente contra maus tratos e violência sexual. “Essa caminhada é um grito de alerta para a sociedade acordar. Sejamos vigilantes com nossas crianças que a cada dia estão sofrendo maus tratos e sendo violentadas sexualmente. Tivemos três casos bárbaros recentemente”, afirmou.  

Entre os casos recentes de crimes contra crianças na Zona Norte que a conselheira tutelar se referiu está o estupro seguido de morte da pequena Jhuliany Souza da Silva, de apenas 7 anos, crime cometido por um vizinho. O outro crime que chocou a cidade foi a morte de Emile Vitoria Abreu dos Santos, de 8 anos, abusada pelo padrasto, que, após matá-la, suicidou-se.

A chefe da Divisão Escolar Centro-Sul da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Daniela Medeiros, enfatizou a importância de denunciar os casos de violência infanto-juvenil. “As pessoas têm que denunciar. Não podemos mais permitir que abusos como esses aconteçam porque a criança não é brinquedo. Estamos aqui para juntos numa só voz chamar a atenção pelas nossas crianças para que elas tenham seu pleito assistido que é o de proteção”, afirmou. 

A gestora da Escola Municipal Doutor Aderson Pereira Dutra, Simone Brelaz, lembrou que a maioria dos casos de violência contra criança e adolescente registrados recentemente em bairro da Zona Norte foi motivado pelo uso de drogas. “Os crimes foram praticados pelos parceiros das mães dessas crianças, que tinham consumido entorpecentes ou bebidas alcoólicas. É preciso alertar para essa situação também”, apontou.

Adesão

Na caminhada realizada ontem no Amazonino Mendes, aproximadamente mil pessoas, entre professores e estudantes de oito escolas municipais e três estaduais, além de comunitários e conselheiros tutelares, participaram do ato que percorreu algumas ruas do bairro.

Publicidade
Publicidade