Terça-feira, 21 de Maio de 2019
JUSTIÇA

Familiares cobram punição a motorista que atropelou e matou militar aposentado

Manoel Galdino foi atropelado por uma Ranger prata há dez dias, mas ninguém foi preso



galdino_1.JPG
Manuel Galdino sobreviveu à 2ª Guerra, mas não ao trânsito de Manaus. (Evandro Seixas)
28/01/2017 às 05:00

Familiares do militar aposentado Manoel Galdino de Menezes, 92, que morreu após ser atropelado no bairro São José, na Zona Leste, há 10 dias, cobram punição ao motorista que o atropelou. A própria família da vítima busca identificar o condutor da caminhonete prata que atropelou o idoso no último dia 16.

O acidente aconteceu por volta das 19h, na avenida Autaz Mirim. O idoso estava atravessando a rua quando o carro, que trafegava em alta velocidade, atingiu o militar. O motorista não deu nenhuma assistência à vítima e fugiu do local. 

“Até hoje a gente não sabe quem foi que atropelou o meu tio, se foi um homem ou mulher. Só sabemos que estava em uma Ranger prata e que fugiu do local”, afirmou Ingrid Menezes, sobrinha do idoso. 

Manoel Galdino chegou a ser socorrido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu)  e levado para o Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, mas não resistiu às consequências da hemorragia interna que sofreu por causa do impacto do atropelamento.  Galdino morreu cinco dias depois do acidente. 

Imagens de segurança

A sobrinha do ex-militar, Ingrid Menezes, disse que a família  está procurando ajuda para localizar imagens de segurança  ao longo da avenida Autaz Mirim que possam ajudar a identificar a placa do veículo que atropelou o ex-militar. 

De acordo com ela, um outro sobrinho da vítima já procurou o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), mas o órgão informou que não possui nenhuma câmera na altura do local do acidente. A família também pede ajuda da população e cobra o empenho da polícia para investigar o caso. “Meu tio era um homem ativo, morava sozinho e não merecia morrer assim. Nós queremos que esse motorista seja identificado e que ele pague pelo crime que ele cometeu”, afirmou ela. 

Investigação

De acordo com a Polícia Civil, um boletim de ocorrência foi registrado no 14º Distrito Integrado de Polícia (DIP), mas o caso foi transferido para a Delegacia Especializada em Acidentes de Trânsito (Deat). A PC não entrou em detalhes sobre o conteúdo inquérito, mas informou que o caso está sendo investigado. 

Exemplo de cidadania e disposição

O militar aposentado Manoel Galdino de Menezes, 92, era conhecido por, todos os anos, fazer questão de participar dos desfiles militares, na semana da Pátria, em setembro.  Ano passado, A CRÍTICA contou a história do ex-militar aposentado que, embora tivesse uma idade avançada, tinha disposição para chegar no Centro de Convenções (Sambódromo), de ônibus. 

Natural da cidade pernambucana de Timbaúba dos Mocós, ele chegou a Manaus com os pais, em 1941, aos 17 anos, e no ano seguinte se alistou nas Forças Armadas. 

Na época, Manoel Galdino afirmou que pertenceu ao  pelotão de guerrilha do Exército.  “Eu sou um dos únicos que ainda estão escapando aqui no Estado do Amazonas”, brincou ele, ao comentar que muitos militares da sua época já estavam mortos. 
 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.