Publicidade
Manaus
COMPAIXÃO

Sábado solidário: moradores de rua ganham banho, frutas e até vacinas contra sarampo

Ação realizada por comunidade adventista do bairro Adrianópolis levou carinho e amor ao próximo a quem vive em condições de abandono 18/08/2018 às 17:43 - Atualizado em 19/08/2018 às 20:33
Paulo André Nunes Manaus

Um grupo de voluntários da Comunidade Adrianópolis, um dos braços da Igreja Adventista do Sétimo Dia, promoveu, neste sábado,  um grande “banho solidário” em pessoas em situação de rua.

A ação aconteceu na Boulevard Álvaro Maia equina com a rua Ferreira Pena, numa área onde há elevada concentração de pedintes, e antecede o Dia Nacional de Luta da População em Situação de Rua, que é festejado neste domingo, dia 19.

Com o auxílio de um carro-pipa, boxes com chuveiros foram montados na calçada para receber as pessoas. Antes, homens passaram por uma sessão de corte de cabelo, e as mulheres por manicure e pedicure.

Após o banho, os moradores em situação de rua receberam kits com roupas e calçados, alimentaram-se com frutas e foram vacinados com as doses contra o sarampo

Antes da ação social ocorreu uma oração com todos os voluntários e pessoas em situação de rua, inclusive com o Pai Nosso.

O banho comunitário foi, para muitas das pessoas em situação de rua, a oportunidade de reinserção numa vida digna. É o caso do pedinte em sinal de trânsito e imitador do cantor Michael Jackson, Jackson dos Santos, 20. Na ação, ele esperava chamar atenção da sua família, a qual assume ter abandonado há três meses para viver na rua.

"Não aguento mais viver na rua. Quero sair dessa e encontrar com a minha família. Espero que agora eles possam saber onde eu estou", disse ele, afirmando que morava no bairro Redenção, na Zona Centro-Oeste, e que na rua cheia cola de sapateiro. Após a entrevista, ele tomou um banho para refrescar em meio à forte temperatura de 32 graus que faz em média nesta tarde na capital amazonense.

O malabares de sinal de trânsito venezuelano, Johnny Altair, 25, elogiou o banho comunitário. Também há três meses na capital amazonense, ele, elogiou a iniciativa e disse que, ao contrário de alguns que estavam ali sendo beneficiados, não consome qualquer tipo de entorpecente ou alucinógeno. “Achei essa iniciativa muito legal. Vou cortar meu cabelo e tomar banho. Na rua é bom, mas tem muita droga por aí. As pessoas pegam dinheiro para comprar drogas”, declara ele.

Via de mão dupla

De acordo com o pastor João Paulo Delmondes, a ação é uma via de mão dupla onde, além de ajudar a quem necessita, deixa os voluntários ainda mais humanos quanto ao relacionamento com seu próximo.

“Veja essa desigualdade social onde muitos ganham de mais e outros ganham de menos. E essas pessoas são da sociedade, que perderam muitas vezes o contato com a família, que não receberam o apoio devido em alguns momentos da vida e que hoje estão ao léu, e que precisam muitas vezes se sentirem humanos e valorizados. É isso que a nossa Comunidade Adrianópolis tanta apresentar a eles: um dia diferente, um dia de banho, de comer uma boa alimentação sentados”, comentou o religioso.

"Nós pensamos que estamos ajudando eles, mas são eles que estão nos ajudando", ressaltou a psicóloga Andreina Sales, uma das voluntárias da ação social que começou às 14h e que deve se estender até por volta de 20h, com a finalidade de atender cerca de 50 pessoas em situação de rua.

Publicidade
Publicidade