Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
6546.JPG
publicidade
publicidade

PARLAMENTAR

Sabino Castelo Branco pede proteção da polícia após sofrer ameaça de morte

De acordo com o parlamentar, esta não foi a primeira vez que ele foi “caçado” por pessoas envolvidas com o crime organizado


07/04/2017 às 05:00

O deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB) está na mira do tráfico e marcado para morrer. Em Brasília, ele comunicou à Câmara dos Deputados e ao Ministério da Justiça o pedido de proteção após uma ameaça de morte direcionada a ele, que aconteceu em Manaus no último domingo (2). De acordo com o parlamentar, esta não foi a primeira vez que ele foi “caçado” por pessoas envolvidas com o crime organizado.

No domingo, Sabino registrou um boletim de ocorrência no 12º Distrito Integrado de Polícia, no Parque das Laranjeiras, referente a uma movimentação suspeita ocorrida em frente a uma igreja evangélica no bairro Vieiralves, onde ele estava. “Duas pessoas chegaram numa moto e não tiraram o capacete. Eles perguntaram se o pastor que tava na igreja era eu. Ai eles ficaram por ali e depois perguntaram se um carro que estava parado lá na frente era o meu. Ficaram lá esperando, certamente para ver se eu ia sair, mas logo foram embora. Depois de uns 20 minutos chegou um carro Honda City e ficou parado por alguns instantes, quando os seguranças iam se aproximar eles arrancaram com o carro, mas ainda conseguiram anotar a placa. Só que chegando na delegacia descobrimos que a placa era fria”, destacou o deputado.

O parlamentar acredita que o fato tenha acontecido por conta da proposta que ele fez em fevereiro, pedindo a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação das facções criminosas.  Sabino dize que quer ficar frente à frente com nomes como Fernandinho Beira-Mar, Marcola e João Branco, apesar de todos já serem investigados pelas autoridades..

Sabino falou sobre o caso na tribuna da Câmara. “Levei esse caso para o conhecimento de todos. Solicitei proteção e a Polícia Legislativa Federal está indo a Manaus para investigar. Porém, esta não foi a primeira vez. Na primeira foram no Mutirão e destruíram uma igreja que eu mantinha lá, eles já foram também à minha chácara, no Tarumã”, disse.

Apesar de pedir segurança, ele diz que não teme, pois ele sabe que o dia dele já foi determinado por Deus. “A população não sabe o nível do crime organizado no Brasil, mas eu sei muito bem com quem eu tô mexendo”.

publicidade

Muita bronca no currículo

Quando o tema é polêmica Sabino não foge. Ele esteve envolvido em inúmeras, como quando uma ação do MPE/AM, de junho de 2010 cobrava na Justiça que devolvesse aos cofres públicos R$ 83.733, referente ao período de 23 de julho de 2001 a 21 de junho de 2005 em que, de acordo com MP, ele recebeu como investigador de Polícia “sem trabalhar”. Sabino era vereador e apresentador de rádio e TV.

Outra envolveu uma haitiana de 3 anos. O tio da criança o acusou  de a ter retirado da família à força, mas Sabino disse que teve autorização para ficar com ela.

Cinco meses depois, ele foi barrado de participar das eleições, ficando inelegível até 2018. A decisão tomada pelo Tribunal Superior Eleitoral entendeu que ele não prestou contas de campanha de 2014. Agora, chegou a hora de encarar o tráfico?

 

publicidade
publicidade
Morte de cadela a pauladas é denunciada por protetores e Comissão
Corpo de homem é encontrado totalmente despido na rodovia AM 010
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.